Seguidores

Agressivo, impaciente, mal-humorado: como lidar com cada tipo de chefe

A relação entre chefes e subordinados pode ou não ser tensa. A situação se complica quando um dos dois é considerado de temperamento "difícil". 

Se esse alguém for o chefe, os funcionários precisam, como diz o ditado, "aprender a viver", dizem os consultores de RH. Isto é, saber lidar com características como agressividade, autoritarismo, mau humor, impaciência, comunicação não-assertiva ou uso de palavras inadequadas e até palavrões, que provocam ansiedade na equipe. 

Na maioria dos casos, quando o colaborador convive com este tipo de pessoa, acaba perdendo a motivação e o comprometimento para realizar um bom trabalho, resultando em aumento do nível de estresse e queda da produtividade, afirma Stefania Giannoni, psicóloga e especialista em desenvolvimento de pessoas. 

 
Mas, dizem os consultores, há como evitar que isso se transforme num suplício. No geral, para lidar com este tipo de chefe, o funcionário precisa procurar conhecê-lo, analisando seu perfil para facilitar a interação, aconselha Stefania. É preciso ter flexibilidade, procurando se adaptar ao jeito da pessoa, ao seu estilo:
- Um ponto relevante é que os chefes difíceis nos forçam a tentar superar nossos limites e, de certa forma, acabam nos proporcionando um aperfeiçoamento, à medida que os desafios vão sendo superados.
Sócia-diretora do Grupo Friedman, Alexandra Sanglard ressalta que o profissional precisa desenvolver sua habilidade de relacionamento para saber lidar com um chefe difícil sem se deixar desmotivar: 

- O funcionário precisa procurar se adaptar às situações, sem perder os seus objetivos pessoais e profissionais e sem ferir a sua integridade. 

Se o profissional é novo na empresa, todo cuidado é pouco. Para facilitar a interação com o gestor, ele precisa, antes de tudo, conhecer o terreno onde pisa, aconselha Alexandra. Por outro lado, deve ter a cabeça aberta para não se deixar influenciar negativamente por pessoas desmotivadas e mal intencionadas:
- Muitas vezes um chefe com fama de difícil é apenas exigente. 

As consultoras, no entanto, são unânimes ao afirmar que, hoje em dia, ninguém é obrigado a viver uma situação-limite, estressante, muitas vezes sentindo-se pressionado ou vítima de assédio moral e chegando ao ponto de desistir de tudo. Alexandra aconselha que, diante desta situação, o profissional busque uma saída, seja apelando para os canais competentes dentro da empresa - área de RH ou outra chefia - ou mesmo pedindo sua demissão, caso não enxergue outra solução. 

- Ninguém deve se deixar subjugar pelo temperamento difícil do chefe. Mas tem o direito de se posicionar e liberdade para escolher entre aceitar ou não esta situação. Se não nos adaptamos, temos que procurar outro tipo de pessoa para trabalhar - completa Stefania. 

Antes de tomar uma atitude radical, como um pedido de demissão, o conselho das especialistas é que o funcionário aja de forma absolutamente profissional, fazendo seu trabalho da melhor forma possível e não dando margens a críticas e falsas interpretações.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/economia/boachance/mat/2011/06/27/agressivo-impaciente-mal-humorado-como-lidar-com-cada-tipo-de-chefe-no-ambiente-do-trabalho-924772266.asp#ixzz1QhrZYlDi
© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Popular Posts