Seguidores

Para Feliciano, beijaço só fortalece possível candidatura presidencial

Foto: BlogImagemO ato de jovens contra a presença do deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) durante um evento evangélico em Prazeres, Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, nesta quinta-feira (30), não teve nem de longe o número de participantes confirmado pelo evento no Facebook. 

Aproximadamente 20 pessoas participaram da manifestação. Dessas, só dois casais promoveram o “beijaço”. Mas, apesar de poucos, o grupo chamou a atenção do político. De cima do trio elétrico do “Projeto Libertador”, o parlamentar deu o recado: “Vocês [os manifestantes] estão me fazendo um bem tremendo e eu fiquei ainda mais forte depois disso. Esse povo ajuda na minha candidatura à Presidência da República”.

Na plateia era possível identificar a bandeira do arco-íris, símbolo do orgulho LGBT, em meio às bíblias dos fiéis. Mesmo afirmando que estava ali como pastor e não como político, Feliciano fez um discurso ácido e disparou indiretas ao grupo de opositores, com direito a pedido de palmas pelo público. “Vamos bater palmas para eles. Só peço que respeitem os que vieram aqui para orar”, defendeu.
Durante a pregação, repleta de palavras mais exaltadas e elevação no tom da voz, o deputado norteou a fala sobre a inconsequência da juventude. Ele utilizou passagens do livro de Provérbios para alfinetar os jovens.
Feliciano ganhou destaque nacional na época em que presidiu a Comissão de Direitos Humanos. Acusado de homofobia e racismo, ele conquistou a antipatia dos movimentos LGBT por causa de projetos polêmicos, entre eles a “cura gay”, a iniciativa orientava os homossexuais a procurarem psicólogos “para se tratar”.
“Certa vez, um representante do movimento LGBT foi ao Congresso e se disse impressionado em como as críticas contra mim só me deixaram mais forte”, disse, durante a fala.
Antes da pregação, o deputado federal Anderson Ferreira (PR) afirmou que liberdade não poderia ser confundida com libertinagem. “Seria o mesmo que eu entrasse numa boate e quisesse pregar o evangelho”, exemplificou.
Foto: BlogImagem
Foto: BlogImagem
“Nosso beijaço é um ato de repúdio às ideias fundamentalistas do pastor Marco Feliciano. Estamos aqui para mostrar que o País é livre e laico, que a homossexualidade é natural”, disse o integrante da Juventude Popular Socialista, Cristiano Vasconcelos.
Juntas há três meses, as estudantes Maria Augusta Brandão e Mia Aragão participaram do “beijaço” e afirmam que o gesto é uma tentativa de combater a homofobia e afrontar as posturas preconceituosas de Feliciano.

Prefeitura realiza novos cadastros para programas habitacionais a partir de abril

Imagem inline 1A Secretaria Municipal de Habitação (Sehab) comunica que devido à grande demanda para atualização de cadastros referentes ao Programa Minha Casa Minha Vida, o atendimento no setor de cadastros nos meses de fevereiro e março continuará restrito às referidas atualizações e visitas sociais. Novos cadastros somente serão realizados a partir do mês de abril. 

Crises e oportunidades


Tiago 1:2

Como humanos que somos, existem situações que nos fazem sofrer: choramos nos humilhamos, nos angustiamos, nos indignamos; essas situações mexe com nosso coração, nos desafiam e afrontam nossa vida.

As crises revelam oportunidades. 


No meio das crises, quando tudo aponta para conflitos e confusões, Deus coloca a benção por baixo da situação. 

Então, precisamos pedir a Ele que nos dê olhos para enxergar que, atrás do problema, não há realmente um problema, mas há o recado da sua benção para nós. 

As coisa que costumam machucar o nosso coração normalmente formam créditos espirituais. 


Esses credito espirituais são respondidos através de oportunidades que Ele envia as nossas vidas!

Angela PereiraÂngela Pereira, vice-prefeita de Parauapebas 2013-2016.


Contra o clã Sarney, candidato do PCdoB negocia frente com PSDB e PSB no MA

O presidente da Embratur, Flávio Dino, tornou-se a personificação do paradoxo. Adversário político da família Sarney, Dino está subordinado ao ministro Gastão Vieira (Turismo), um apadrinhado do patriarca José Sarney. Na semana que vem, trocará o cargo que ocupa no governo de Dilma Rousseff por um projeto que tem como potenciais parceiros Aécio Neves e Eduardo Campos, os dois principais antagonistas da presidente.
Filiado ao PCdoB, uma logomarca que vem sempre enganchada ao PT, Dino se equipa para disputar o governo do Maranhão sem o apoio de Lula, Dilma e do petismo federal. Em entrevista ao blog, ele definiu como “um bom namoro” o esforço que realiza para atrair o PSDB e o PSB para sua coligação. Se a coisa evoluir para o “casamento”, como espera, Dino vai franquear seu palanque estadual a Aécio e Campos, os rivais de Dilma. “Serei um bom anfitrião de ambos”, declara.
O repórter perguntou a Dino por que Lula e Dilma preferem apoiar o candidato a ser indicado pelos Sarney a optar pelo nome do PCdoB. E ele: “…Não consigo crer que o presidente Lula ou a presidenta Dilma, com o conhecimento que têm da realidade do Estado, ignorem que esse regime político que lá está deve ser superado. Tenho certeza que os dois acham isso. Agora, qual vai ser a atitude concreta durante a campanha realmente eu não sei.”
Ampliar

Presidente da Embratur culpa Fifa por alta no preço de hotéis na Copa9 fotos

2 / 9
Flávio Dino, presidente da Embratur (Empresa Brasileira de Turismo) conversa com Josias de Souza sobre turismo no país e no exterior, a Copa do Mundo e sobre sua saída do cargo para concorrer ao governo do Maranhão Kleyton Amorim/UOL
Dino diz não ter desistido de incorporar o PT à sua caravana. Ele idealiza para o Maranhão algo que sucedeu no Acre em 1998. “Quando foi para derrotar o crime organizado, representado na ocasião pelo Hildebrando Pascoal e as forças políticas que ali se aglutinavam, houve uma aliança PT-PSDB, que levou à eleição do hoje senador Jorge Viana (PT).”
Não é um exagero comparar Roseana Sarney e o pai dela a Hildebrando Pascoal, o ex-deputado federal que se notabilizou por passar suas vítimas nas armas e na motosserra? Não, Dino não considera exagerada a comparação. “São modelos que concentram poder na mão de poucos e exercem esse poder às vezes com métodos que são ilegais. Esse é o sentido da comparação”, diz ele.
Dino prosseguiu: “Infelizmente, o Estado democrático de direito ou os valores da República não chegaram totalmente aos corredores do poder no Maranhão. Então, práticas ilegais são muito rotineiras lá. É esse o sentido da comparação. Há um pequeno grupo que concentra poder e riqueza e que mantém esse poder ilegalmente. Por isso é preciso uma ampla união de forças que tenham aptidão, vontade e coragem para enfrentar esse sistema de poder.”
Bem posto nas sondagens eleitorais, Dino se refere ao PT com uma ponta de ironia: “Assim como na Bíblia está registrado que ninguém serve a dois senhores, é preciso que o PT, afinal, trilhe o seu caminho [no Maranhão]. Enquanto isso, nós estamos buscando as composições com as forças locais que possam nos ajudar.”
O que ocorreria na cena federal se o PT do Maranhão rompesse com a família Sarney? “Tudo poderia acontecer, inclusive nada”, afirma Dino. “Acho que, mais provavelmente, nada.” O repórter insistiu: o senador Sarney não soltaria marimbondos de fogo? “Certamente não”. Para Dino, Sarney tem tantos interesses a defender no poder federal que “valorizaria esses interesses acima do mal-estar” maranhense.
Dino deixará a Embratur sem conseguir devolver para patamares razoáveis os preços a serem cobrados pelos hotéis brasileiros durante a Copa do Mundo. Desde o ano passado, a pasta do Turismo estima que os preços das diárias hoteleiras sofrerão variações de até 580%. “Creio que nós conseguimos evitar uma expansão ainda maior nos preços”, diz o ainda presidente da Embratur. Ele avalia que a situação “pelo menos não piorou”. Dino culpa a Fifa pelo descalabro.
“Foi o modelo de negócios adotado pela Fifa e pela Match [agência operadora da Fifa] que levou a uma escassez de apartamentos disponíveis no mercado. A Match se antecipou, fez contratos a preços muito altos com as redes hoteleiras. Contratou os apartamentos por 70% da tarifa-balcão, que nós sabemos que é uma tarifa irreal, que não é praticada. Sobre essa tarifa, a Match colocou a sua taxa de intermediação. Em alguns casos superior 40% sobre o valor do apartamento. Eles balizaram o preço para cima.”

Ditadura brasileira forneceu novo modelo de golpe e de regime político

O início da ditadura militar marcou a história brasileira, mas também facilitou, neste canto do planeta, a eclosão de outras. "Um novo modelo de golpe e de regime político para vários países latino-americanos", escreve Marcos Napolitano em "1964".
Na segunda metade do século 20, a ideia de conter a ameaça comunista atingiu seu ápice. Com a Guerra Fria, os líderes do "mundo livre" olhavam para os países do Sul com desconfiança, principalmente depois da Revolução Cubana.

"Defendo a interpretação de que em 1964 houve um golpe de Estado, e que este foi resultado de uma ampla coalizão civil-militar, conservadora e antirreformista, cujas origens estão muito além das reações aos eventuais erros e acertos de Jango", diz Napolitano.

Divulgação
Historiador discute neste livro as principais questões desses "anos de chumbo"
Historiador discute as principais questões dos "anos de chumbo"
Segundo o autor, uma aliança golpista ganhava força desde a crise política de 1954, que culminou no suicídio de Getúlio Vargas.

Essa coalizão encontrou um caminho quando João Goulart assumiu a presidência, após a renúncia de Jânio Quadros, em 1961. "Mirando os comunistas, os golpistas de 1964 varreram o reformismo da agenda política brasileira".

"Entretanto, não endosso a visão de que o regime político subsequente tenha sido uma 'ditadura civil-militar' ainda que tenha tido entre os seus sócios e beneficiários amplos setores sociais que vinham de fora da caserna, pois os militares sempre se mantiveram no centro decisório do poder".

Meio século depois de seu início, o período de ditadura militar no Brasil é revisitado por Napolitano, que procura compreender questões pendentes sobre esses anos de chumbo no livro.

"Trata-se de um regime complexo, muitas vezes aparentemente contraditório em suas políticas, que mobilizou vários tipos e graus de tutela autoritária sobre o corpo político e social, articulando um grande aparato legal-burocrático para institucionalizar-se, aliado à violência policial-militar mais direta", conta.

Doutor em história social, Marcos Napolitano é professor do departamento de história da USP (Universidade de São Paulo) e também assina, entre outros títulos, "Como Usar o Cinema em Sala de Aula""Cultura Brasileira: Utopia e Massificação" e "Fontes Históricas".Leia trecho de "1964: História do Regime Militar Brasileiro".

Dilma estuda dar sexto ministério ao PMDB para assegurar apoio

A presidente Dilma Rousseff tem sido aconselhada por interlocutores a rever sua posição e dar o sexto ministério ao PMDB. O objetivo é evitar rebeliões no partido, estratégico ao projeto de reeleição.

Dilma voltou de Cuba na quarta-feira (29) disposta a retomar as negociações para a última reforma ministerial do mandato.

Integrantes do governo se mostravam pessimistas com a ida do empresário Josué Gomes para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Nos últimos dias, Dilma foi avisada das dificuldades dele em deixar a Coteminas, empresa de sua família.

Assim, a pasta pode ser usada para contemplar um aliado ou acomodar alguém da cota pessoal da presidente.

Dilma tem três destinos possíveis para aliados: além do Desenvolvimento, o Ministério da Ciência e Tecnologia e a Secretaria de Portos.

Prevalecendo a ideia de dar o sexto ministério ao PMDB, a sigla poderia ser alojada tanto na primeira quanto na segunda pastas. Com isso, Portos poderia acomodar o PTB, cujo indicado é Benito Gama.

Relações Institucionais, responsável pela articulação política o Congresso, tende a continuar com Ideli Salvatti.

Um dos cotados para a Educação é Henrique Paim, secretário-executivo do órgão. O governador Cid Gomes (Pros-CE), patrocina o nome de Maria Izolda Cela de Arruda Coelho, sua secretária de Educação, para o posto. 

Goleada é choque de realidade no Corinthians

ReproduçãoApós os dois primeiros jogos na temporada, a direção corintiana esbanjava otimismo. Via o time, enfim, motivado, e disposto em campo, bem diferente do desânimo mostrado no final do passado. Parecia que trocar Tite por Mano tinha resolvido a maior parte dos problemas.
Mas o goleada sofrida na noite desta quarta para o Santos implodiu as boas impressões. A equipe voltou a ser apática e ineficiente no ataque. E a fragilidade da defesa foi de fazer corintiano ficar com saudades do famoso “empatite”. A Fiel deve ter sentido saudades também de Paulinho ao ver Arouca alimentar o Santos como o ex-corintiano fazia. E uma ponta de inveja do desempenho dos jovens revelados na Vila Belmiro.
No final, os 5 a 1 deram uma nova dimensão do trabalho que Mano Menezes e a diretoria corintiana têm pela frente. Certamente, a encrenca é bem maior do que parecia após as vitórias sobre Portuguesa e Paulista.

Acharam o Adriano! Atacante aparece sorrindo de “barriga cheia”

Reprodução/InstagramO atacante Adriano reapareceu na quarta-feira em um restaurante no Rio de Janeiro, em fotos postadas pelo promoter David Brazil. O jogador era aguardado na semana passada no Atlético-PR , de onde teve liberação para visitar a filha recém-nascida Lara, também no RJ, fruto do relacionamento do Imperador com a ex-noiva Renata Fontes.

"Aqui no Porcão matando a saudade do meu gostosão @adrianoimperador #amomuito", escreveu David Brazil em sua conta no Instagram.

O promoter ainda brincou com o físico de Adriano, dizendo que o jogador está "fininho". "Pense num sonho dessa gaga. Adriano ser sua imperatriz pelo menos um final de semana, fininho desse jeito então", disse David Brazil.

Adriano não tem contrato com o Atlético-PR, mas vinha trabalhando no clube desde dezembro do ano passado para recuperar a forma física. O Imperador não joga uma partida profissional há quase dois anos. O último jogo foi pelo Paulistão em março de 2012, pelo Corinthians.

Após a saída do clube do Parque São Jorge, Adriano chegou a retornar ao Flamengo, clube que o projetou para o futebol e pelo qual foi campeão brasileiro na segunda passagem, em 2009. A ideia também era recuperar a forma física aos poucos, depois de uma cirurgia no pé esquerdo, mas uma série de problemas com faltas acabou causando o desligamento do atleta do clube carioca.

Nesta semana, o Atlético-PR divulgou a lista de jogadores inscritos para a fase preliminar da Copa Libertadores, contra o Sporting Cristal, e como já era esperado, deixou Adriano de fora do elenco.

De acordo com o jornal carioca Extra, na semana passada Adriano aproveitou sua passagem pelo Rio de Janeiro com uma festa em sua residência, entre a noite de terça e a início da manhã de quarta. Mais tarde, teria sido flagrado em um pagode na Barra da Tijuca.

Parauapebas tem 5ª maior frota do Pará

Blog Pesquisas Acadêmicas!
Acesse: <http://jornalistagramatiqueiro.blogspot.com.br/2014/01/veiculos-frota-cresce-mas.html>!

SAI DA FREEEEEEEEEEEEEEEEENTE!
Parauapebas tem 5ª maior frota do Pará; Canaã, maior crescimento do Brasil

De um ano para outro, o trânsito desorganizado e fora do controle em Parauapebas recebeu mais de 10 mil novos veículos e se tornou a quinta maior frota do Pará, posto pertencente a Castanhal até setembro de 2013. Os dados são do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) que acabam de sair do forno.
São, agora, 56.322 veículos emplacados no município ante 45.930 um ano atrás para aglomerar nas vias de passagem cada vez mais estreitas para tantos carros e motos, a maioria criada há mais de 20 anos e pensada para um município que tivesse área urbana pacata para não mais que 25 mil habitantes.
Hoje, Parauapebas acomoda como pode 177 mil cidadãos, o que confere média de um veículo para cada grupo de três moradores. São 15.278 carros de passeio, 29.331 motos e 11.713 veículos de outros tipos se espremendo loucamente Parauapebas adentro, ocasionando até cinco quilômetros de congestionamento nos horários de pico – nada visto em qualquer outro município da região, nem mesmo em Marabá, que tem um Redenção inteiro de tamanho à frente de Parauapebas.
Frágil, a malha viária urbana local sofre tanto quanto pedestres e condutores. Caminhões de abastecimento e ônibus de empresas privadas detonam o asfalto e contribuem para abertura de crateras, responsáveis por danificar carros pequenos e, não raro, por ocasionar acidentes, alguns deles fatais.
Parauapebas, hoje, é o município do sudeste paraense com o maior número de veículos extragrandes (caminhões, ônibus, carretas, reboques, etc.) na área urbana. São 1.765 zanzando diuturnamente. Cada um, carregado com suas prioridades, pesa em torno de 12 toneladas. Na prática, circula pelo castigado asfalto urbano uma avalanche de 21.180 toneladas, o equivalente a colocar mais 300 mil pessoas adultas nas ruas de Parauapebas pulando corda no asfalto.
É exatamente por isso que, nos últimos anos, a textura do revestimento da pavimentação mais parece borra de café. Não se fixa de jeito algum por muito tempo. Aliás, esse é um problema mais de ordem de consumo e menos técnico enfrentado, também, por muitos outros municípios brasileiros.
Para piorar, além da frota registrada pelo Denatran, para carros emplacados, há veículos de outros lugares que circulam em Parauapebas. Não há controle estatístico sobre estes, mas numa contagem de meia hora, nos principais pontos de acesso a Parauapebas (PA-275 e PA-160), é possível estimar que, num único dia, cerca de 10 mil veículos de outros lugares transitem pela "Capital do Minério", embora o escape de veículos a partir de Parauapebas para Canaã tenha mais que triplicado.
Atualmente, apenas Belém (373.846 veículos), Ananindeua (101.062), Marabá (83.314) e Santarém (73.935) estão à frente de Parauapebas em frota. Apesar do espantoso crescimento, nos últimos três anos o movimento para aquisição de novos carros por moradores de Parauapebas caiu, uma vez que, entre 2000 e 2010, a "Capital do Minério" só perdia para a capital paraense, e agora está atrás de Ananindeua e Marabá. São emplacados em Parauapebas cerca de 800 veículos por mês. O consumo, apesar de ainda ser grande, tem dado sinais de desaceleração.

MUNICÍPIOS VELOZES
Altamira e Canaã têm maiores aumentos de frota no Brasil

Os dois municípios brasileiros que mais crescem, proporcionalmente, em número de carros novos são paraenses: Altamira e Canaã dos Carajás. Além de terem se tornado os dois maiores polos recentes de atração populacional na Amazônia (Altamira por causa da Usina Hidrelétrica de Belo Monte e Canaã dos Carajás por causa do projeto S11D), a economia desses locais passou a aquecer uma nova dinâmica de consumo por automotores.
O que antes era objeto de desejo, agora é um problema social (haja vista a ruas esburacadas e intrafegáveis; população endividada em financiamentos a perder de vista) e uma espécie de sangria desatada que prenunciam cidades pandemônios num futuro não muito distante.
No final de 2012, Canaã dos Carajás tinha 7.670 veículos. No final de 2013, 9.710. Pode parecer pouco o aumento de duas mil unidades na frota, mas para um município que tem apenas 31 mil habitantes, sendo 25 mil deles na cidade, é um crescimento assustador de 26,6%, já que nem a população cresce a taxa similar. E a consequência disso é o repeteco do que hoje se visualiza às 8 horas da manhã, ao meio-dia e às 6 da tarde em Parauapebas.
A marcha rumo a Altamira é ainda mais cruel. Por dia, sobem Transamazônica acima 20 mil veículos, que ou passam pela cidade, ou vão e voltam, ou ficam por lá. Em todo caso, com 42.499 veículos, Altamira acelera velozmente para roubar o posto de Parauapebas como detentor de quinta maior frota. E como ambas as cidades não têm estrutura física para suportar o peso de tamanho prêmio, estar em quinto ou primeiro lugar não é vantagem.
Três anos atrás, por exemplo, Altamira tinha 23.985 carros e motos. De lá para cá, a frota explodiu quase 800%. E a "Princesinha do Xingu" só perde mesmo para a "Terra Prometida" no fenômeno de emplacamentos de carros.
Para se ter ideia do que era Canaã e do que está acontecendo, em 2000 havia apenas 429 carros trafegando pelas ruas de terra da então pacata vizinha de Parauapebas. Em 13 anos, a frota cresceu 2.163%. Em nenhuma outra parte do Brasil se viu algo dessa natureza.
Nos próximos três anos, a frota de Canaã atingirá 30 mil veículos. Isso não será motivo de comemoração em 2017, pelo contrário. Se hoje a malha urbana é de 74,5 quilômetros, em 2017, a julgar pelo crescimento demográfico, será de 109 quilômetros – sequer dobrará. Enquanto isso, a frota triplicará. Está instalado o caos.

NO EMBALO DO PARÁ
Estado é onde, proporcionalmente, mais se emplacam carros

Canaã dos Carajás, Altamira, Parauapebas, Marabá, Redenção e Belém são alguns dos municípios que mais cresceram em frota no país e ajudaram o Pará a ter a maior evolução no número de emplacamentos entre os estados, 12,84%. Depois do Pará, o Maranhão é onde, proporcionalmente, a população mais emplaca carros, com 12,58% de crescimento entre 2012 e 2013.
O Pará possui a 14ª maior frota nacional, com 1.428.355 veículos. Mas, diferentemente dos estados do Sul e Sudeste, por aqui imperam as motos, em vez de carros. Belém possui 373.846 veículos e detém a 14ª maior frota entre as capitais, tendo apresentado o sétimo melhor desempenho nacional em emplacamentos.
A cidade de São Paulo, sozinha, tem 7.010.508 veículos. É quase tanto carro quanto o número de moradores do Pará. Nem de muito longe a cidade do Rio de Janeiro, segunda maior do país, acompanha a "Terra da Garoa". São 2.451.155 veículos em circulação na "Cidade Maravilhosa".
A maior curiosidade está em Goiânia, capital de Goiás, que é pouco menor que Belém, ainda assim possui 1.045.796 veículos em circulação, o que dá uma média de praticamente um veículo por habitante, a maior do Brasil. Esse fato é explicado porque moradores das cidades da Região Metropolitana, como Aparecida de Goiânia e Senador Canedo, além de uma boa parte dos habitantes de Anápolis e até Brasília e Palmas, compram carros em Goiânia e vão embora com a placa de lá. Considerada no Centro-Oeste a capital dos preços baixos para aquisição de veículos, Goiânia lidera vendas de empresas como Hyundai e Mitsubishi, que têm montadoras em Goiás.Parauapebas tem 5ª maior frota do Pará; Canaã, maior crescimento do Brasil De um ano para outro, o trânsito desorganizado e fora do controle em Parauapebas recebeu mais de 10 mil novos veículos e se tornou a quinta maior frota do Pará, posto pertencente a Castanhal até setembro de 2013. Os dados são do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) que acabam de sair do forno. 

São, agora, 56.322 veículos emplacados no município ante 45.930 um ano atrás para aglomerar nas vias de passagem cada vez mais estreitas para tantos carros e motos, a maioria criada há mais de 20 anos e pensada para um município que tivesse área urbana pacata para não mais que 25 mil habitantes. Hoje, Parauapebas acomoda como pode 177 mil cidadãos, o que confere média de um veículo para cada grupo de três moradores. São 15.278 carros de passeio, 29.331 motos e 11.713 veículos de outros tipos se espremendo loucamente Parauapebas adentro,ocasionando até cinco quilômetros de congestionamento nos horários de pico – nada visto em qualquer outro município da região, nem mesmo em Marabá, que tem um Redenção inteiro de tamanho à frente de Parauapebas. Frágil, a malha viária urbana local sofre tanto quanto pedestres e condutores.

Fonte - Blog Pesquisas Acadêmicas

Gestão participativa será a marca da escola estadual Euclydes Figueiredo

Foto: O diretor interino Alderi Santos reuniu-se com o conselho escolar onde tratou sobre os investimentos que serão feitos na escola nesse ano de 2014. Estiveram presentes o presidente professor Arão, o tesoureiro professor Eduardo e a secretaria professora Esméria.Desde que assumiu a direção interina os professores e especialistas em Gestão Escolar Alderi Santos e Shirlene vem implantando nesses últimos dois meses aquela que será a marca os princípios da Gestão Democrática como:

A Descentralização, onde as decisões, as ações devem ser elaboradas e executadas de forma não hierarquizada.

A Participação, onde todos os envolvidos no cotidiano escolar devem participar da gestão como professores, estudantes, funcionários, pais ou responsáveis, pessoas que participam de projetos na escola, e toda a comunidade ao redor da escola.

A Transparência, onde qualquer decisão e ação tomada ou implantada na escola tem que ser de conhecimento de todos.

A prova é tanta que desde que assumiu a direção vem dando total liberdade ao Conselho Escolar para decidir juntamente com a equipe onde investir os recursos provenientes do governo federal e estadual.

O diretor interino Alderi Santos reuniu-se com o conselho escolar onde tratou sobre os investimentos que serão feitos na escola nesse ano de 2014. 

Estiveram presentes o presidente professor Arão, o tesoureiro professor Eduardo e a secretaria professora Esméria.

Não renovação com Elias deixa Flamengo menos competitivo, mas expõe nova política financeira do clube

Não a Elias mostrou Fla 'responsável'Há muito tempo o Flamengo se habituou a sofrer com problemas financeiros, complicações que minam as contratações para a temporada e que, não raras vezes, atrapalha a competitividade da equipe. Tudo isso fez com que o clube da Gávea desistisse, nesta segunda-feira, de contar com o futebol do volante Elias, um dos principais destaques na campanha vitoriosa da Copa do Brasil 2013, que tem contrato junto ao Sporting Lisboa-POR até 2016.

De acordo com reportagem da ESPN, os dirigentes rubro-negros não estão dispostos a colocar o equilíbrio financeiro do clube em risco com uma contratação cara, situação que ocorreria caso a contratação de Elias fosse confirmada pelo valor pedido pelos portugueses. A esperança do clube está em o jogador conseguir por si só a liberação do Sporting. "Não está encerrada. Está muito difícil, mas não consideramos encerrada. Eu, como vice de futebol, garanto", disse Wallim Vasconcellos, vice-presidente de futebol do Flamengo ao ESPN.com.

Esta não é a primeira vez que o Flamengo se desfaz de jogadores ou até mesmo técnicos para reduzir custos e manter as contas em dia. Em 2013, o clube se desfez de Vagner Love e Ibson, além do técnico Dorival Júnior, que tinham um salário considerado alto demais dentro da atual realidade financeira do clube.
Tudo isso demonstra a preocupação da atual diretoria do Flamengo em não aumentar ainda mais a já gigantesca dívida que o clube possui. A direção do clube age de forma correta ao não comprometer o orçamento para tentar reforçar o clube, mesmo podendo atrapalhar o desempenho dentro de campo em um ano onde a equipe disputará a Copa Libertadores da América.

Uma das prioridades do atual presidente Eduardo Bandeira de Mello durante a campanha que o elegeu foi a de reduzir as dívidas do rubro-negro. Para isso, o clube tem buscado aumentar suas receitas de forma responsável (diferente de casos como o do Paraná Clube, por exemplo, que pediu ajuda para torcedores e estampou a marca de uma torcida organizada em sua camisa). Ainda assim, o clube enfrentou um atraso no pagamento de direitos de imagem aos jogadores, no mês de setembro.
Outra medida foi divulgar trimestralmente os balancetes com a situação financeira do clube no site oficial. Desde o início da administração Bandeira de Mello, a dívida do Flamengo caiu de R$ 730 milhões para R$ 650 milhões, de acordo com o último balancete, divulgado no mês de novembro de 2013.
A situação de Elias é complicada, também na equipe portuguesa. Contratação mais cara da história do Sporting, por 8,8 milhões de Euros, o jogador tem um salário alto demais para o clube lisboeta. O volante tem treinado na equipe B do clube e os Sportinguistas esperam por uma proposta para vender o jogador.
O pai e representante de Elias, Eliseu Andrade, ficou por três semanas em Portugal negociando a transferência do jogador ao clube carioca, sem sucesso. "Fiquei 22 dias em Portugal tentando negociar com os dirigentes do Sporting e não chegamos a um acordo. Reforçamos a posição do Elias, que não está medindo esforços para jogar pelo Flamengo. Ontem nos reunimos, tomamos ciência da proposta do clube chinês, que era realmente muito vantajosa financeiramente. Mas prontamente recusamos", disse Andrade, através de nota oficial.

Professor Sanderson inova em suas aulas de Inglês

A língua inglesa é IMPRESCINDÍVEL nos dias atuais, pois a globalização faz com que se torne algo FUNDAMENTAL. O Inglês é a língua internacional, a língua dos estudos, das viagens, dos negócios, enfim, a língua da COMUNICAÇÃO com todo o MUNDO. 
Pensando nisso o professor de Inglês Sanderson juntamente com os alunos dos primeiros anos do ensino médio da escola Euclydes Figueiredo estão trabalhando "Aprendendo Inglês com a música". 

















Segundo o professor Sanderson os alunos utilizando essa metodologia tendem a aprender o Inglês mais rápido.

Escola estadual Euclydes Figueiredo realiza reunião de pais

A Direção e Professores da Escola Estadual Euclydes Figueiredo realizou uma reunião com os pais para apresentar o desempenho dos alunos no 3º Bimestre. Na ocasião o diretor interino Alderi Santos aproveitou para conversar com os pais sobre a situação dos alunos para que a escola juntamente com os pais possam caminhar juntos na construção da educação dos alunos.

Níver do vereador Miquinha

Estudo liga câncer de próstata e sono

Dormir bem pode diminuir em até 75% o risco de uma pessoa desenvolver o tipo avançado do câncer de próstata, aponta um estudo da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, apresentado na semana passada em uma conferência da Associação Americana para Pesquisa em Câncer, em San Diego.


A pesquisa relacionou o risco de ocorrência da doença com os níveis de melatonina, hormônio que regula o sono e é produzido no período da noite. Os pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard acompanharam 928 homens durante oito anos, entre 2002 e 2009. Os participantes tiveram amostras de urina coletadas para que os cientistas verificassem os níveis de melatonina que tinham no organismo ao acordar. Eles ainda responderam questionários sobre seus hábitos de sono.

A investigação mostrou que um em cada sete homens relatou ter problemas para adormecer, um quinto tinha dificuldades em manter o sono e um terço disse tomar remédios para dormir. Os homens que relataram esses obstáculos tinham níveis mais baixos de melatonina do que aqueles sem impedimentos durante o sono.

Ao longo do estudo, 111 homens foram diagnosticados com o tumor de próstata. Cruzando os dados coletados com a incidência da doença, os pesquisadores observaram que os participantes que tinham níveis de melatonina superiores à média tiveram uma redução de 75% no risco de desenvolvimento de câncer de próstata avançado.

Foi observada uma redução de risco da doença em geral (não só o tipo avançado), mas esses resultados não foram estatisticamente significativos, segundo os pesquisadores.
De acordo com a coordenadora do estudo, Sarah Markt, a perda do sono é um dos fatores que podem influenciar a quantidade de melatonina produzida e o aparecimento de problemas de saúde, incluindo o câncer. "Nossos resultados requerem réplicas, mas dão suporte à indicação da importância de manter os ciclos claro-escuro e sono-vigília estáveis", disse ela.

Quem vai cuidar de você na velhice?

Uma das perguntas mais frequentes feitas às mulheres que não querem ter filhos é: "E quem vai cuidar de você na velhice?".

Uma jornalista de 43 anos disse: "Já sofri muito com as cobranças femininas. Acham que se eu não tiver filhos serei infeliz. Quando digo que não quero ter filhos e sou feliz assim, elas dizem: 'Então por que você não adota?' Quando respondo que não quero adotar, elas insistem: 'E como vai ser sua velhice sem ninguém para cuidar de você?'.

Muitas mulheres mais velhas acreditam que a família é uma prisão que impede que exerçam a própria vontade. Elas dizem que os filhos não respeitam as vontades dos pais e querem controlar suas vidas afetivas e sexuais, como se os velhos não fossem pessoas responsáveis, lúcidas e autônomas.

Elas afirmam que, apesar da ilusão de que os filhos são a garantia de uma velhice menos solitária, em grande parte dos casos essa expectativa não se confirma. Muitas alertam para os perigos de depositar nos filhos a esperança de uma velhice feliz. Elas acham melhor investir nas amizades para garantir companhia, amor e cuidado na velhice.

Os vínculos gerados pelo afeto, e não pela obrigação ou interesse, podem criar relações de reciprocidade e de cumplicidade entre as mulheres, que se divertem, se acompanham e cuidam umas das outras, especialmente na velhice.

Uma escritora de 75 anos disse: "Aprendi a afastar todas as pessoas que chamo de vampiras: aquelas que só sugam, reclamam, demandam, fazem mal, botam para baixo. Só quero na minha vida quem me cuida e me alimenta de coisas boas, quem me faz bem e me estimula a ser cada vez melhor. As minhas amigas são o meu maior patrimônio e a minha verdadeira família".

Nos últimos dez anos triplicou o número de pessoas de mais de 60 anos que vivem sozinhas, passando de 1,1 milhão para 3,7 milhões. Entre elas, 65% são mulheres, muitas das quais escolheram viver sozinhas para assegurar a autonomia.

As mulheres que tenho pesquisado aprenderam que, além de cuidar da saúde e garantir uma aposentadoria digna, existe outro importante investimento para experimentar uma velhice mais feliz: cultivar, desde cedo, as verdadeiras amizades. 
mirian goldenberg
Mirian Goldenberg é antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro. É autora de 'Coroas: corpo, envelhecimento, casamento e infidelidade' (Ed. Record). Escreve às terças, a cada 15 dias.

Poesia - Para sempre

Para Sempre

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.
Carlos Drummond de Andrade

Dilma se reúne com Fidel Castro em Havana e fala sobre o Mais Médicos

Fidel Castro e Dilma Rousseff se encontram em Havana nesta segunda-feira (27). (Foto: Alex Castro/Cubadebate/AP)A presidente Dilma Rousseff se reuniu na segunda-feira (27), em Havana, com o líder cubano Fidel Castro, de 87 anos, que também recebeu a primeira-ministra da Jamaica, Portia Simpson-Miller, informou a imprensa oficial do país.
Segundo o site oficial Cubadebate, Dilma e Fidel – que está afastado do poder desde 2006, mas ainda exerce influência sobre a ilha – falaram sobre o Porto de Mariel e sua Zona Especial de Desenvolvimento. A presidente brasileira também conversou com Fidel sobre sua satisfação com o trabalho dos milhares de cubanos que fazem parte do programa federal Mais Médicos.
Segundo o Cubadebate, o encontro fraternal "foi uma expressão do afeto e da admiração entre Fidel e Dilma".
Além disso, a presidente brasileira e o presidente da ilha, Raúl Castro, irmão mais novo de Fidel,inauguraram na segunda um moderno terminal de contêineres que contou com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
Dilma Rousseff e Fidel Castro se reúnem em Havana nesta segunda-feira (27). (Foto: Alex Castro/Cubadebate/AP)Dilma Rousseff e Fidel Castro se reuniram em Havana na segunda-feira (27). (Foto: Alex Castro/Cubadebate/AP)

PA, MG, MT e SP lideram suspeitas de trabalho escravo, diz Procuradoria

As investigações do Ministério Público Federal (MPF) sobre casos de trabalho escravo em quatro estados – Pará, Minas Gerais, Mato Grosso e São Paulo – representam quase metade de todas as apurações sobre o tema no país, informou a Procuradoria-Geral da República (PGR).
Nas 27 unidades da federação, estão em andamento 1.480 investigações do MPF sobre o crime de condição análoga à de escravidão, que prevê punição de dois a oito anos de prisão e multa.
Juntos, os quatro estados têm 729 apurações em andamento, que representam 49,2% do total do país. O maior número de casos está no Pará (295 investigações), seguido de Minas Gerais (174), Mato Grosso (135) e São Paulo (125). 
veja quadro abaixo.
Unidades da federação
Investigações do MP em andamento sobre
trabalho escravo
Acre
11
Alagoas
14
Amazonas
13
Bahia
49
Ceará
4
Distrito Federal
38
Espírito Santo
16
Goiás
75
Maranhão
79
Minas Gerais
174
Mato Grosso do Sul
39
Mato Grosso
135
Pará
295
Paraíba
5
Pernambuco
30
Piauí
34
Paraná
71
Rio de Janeiro
21
Rio Grande do Norte
6
Rondônia
52
Roraima
2
Rio Grande do Sul
36
Santa Catarina
38
Sergipe
1
São Paulo
125
Tocantins
97
TOTAL
1.480
Fonte: Procuradoria-Geral da República

Popular Posts