Seguidores

Discussões desgastantes e improdutivas na CAPITAL do DINHEIRO.


Diz um texto judaico que "As discussões são como as luzes de velas acesas na escuridão".

Esses dias sentados numa mesa redonda estavam dois defensores assíduos do ex-prefeito Darci Lermen e dois ferrenhos defensores do prefeito Valmir Mariano que discutiam quem tinha realizando mais obras na cidade, eles debatiam tanto que num determinado momento pensei que iriam sair na porrada, mas graças a Deus não teve nada.

Na maioria das vezes, não importa quem está com a razão o fundamental é evitar discussões desgastantes e improdutivas.

Muitas brigas surgem motivadas por coisas insignificantes, que se avolumam e inflamam com o calor da discussão.

Pense nisso, a pessoa que se irrita aspira o ar tóxico que se exterioriza e envenena a si mesmo.

Casamentos gays aumentam 31,2% em 2014 no Brasil, diz IBGE


Casamento coletivo ocorreu na sede da OAB em Manaus (Foto: Luis Henrique/G1 AM)
Em 2014, foram registrados no Brasil 4.854 casamentos entre cônjuges do mesmo sexo, um aumento de 31,2% em relação a 2013, ano em que uma resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinou que os cartórios realizassem a união civil entre pessoas do mesmo sexo.

Em números absolutos, foram 4.854 registros, totalizando 1.153 uniões homoafetivas a mais que no ano anterior, segundo dados das Estatísticas do Registro Civil 2014, divulgadas na segunda-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Desse total de uniões, 50,3% foram entre mulheres e 49,7%, entre homens, percentuais quase empatados. Mas em 2013, os casamentos entre mulheres registraram uma maioria mais acentuada - 52% contra 48% de casamentos entre homens.

A Região Sudeste concentrou o maior percentual de uniões homoafetivas em 2014: 60,7%. As demais regiões registram proporções bem menores: Sul, 15,4%; Nordeste, 13,6%; Centro-Oeste, 6,9%; e Norte, 3,4%. 

Dentro da Região Sudeste, foi no estado de São Paulo onde se concentraram o maior percentual de uniões homoafetivas: 69,6%; na Região Sul, a maioria das uniões aconteceu em Santa Catarina, com 45,7%; Goiás, com 39%, e Distrito Federal, com 38,7%, foram os recordistas do Centro-Oeste; no Norte, Pará registrou a maioria dos casamentos homoafetivos: 34,7%.

Contas do setor público têm déficit de R$ 11,5 bilhões em outubro

bandeira-do-brasil














As contas de todo o setor público consolidado – que englobam o governo, estados, municípios e empresas estatais – registraram déficit primário de R$ 11,5 bilhões no mês de outubro, ante R$ 7,3 em setembro, informou o Banco Central nesta segunda-feira (30). De janeiro a outubro deste ano, o déficit primário acumulado é de R$ 20 bilhões.

Em doze meses até outubro, segundo números oficiais, houve um déficit primário de R$ 40,9 bilhões nas contas do setor público, o equivalente a 0,71% do Produto Interno Bruto (PIB).

Os juros nominais alcançaram R$ 17,9 bilhões em outubro, ante R$ 70 bilhões em setembro. No acumulado do ano, os juros nominais somaram R$ 426,2 bilhões, comparativamente a R$ 230,7 bilhões no mesmo período do ano anterior. Em 12 meses, os juros nominais somaram R$ 506,9 bilhões, o equivalente a 8,79% do PIB. 

Ao decompor o resultado do mês passado, as contas do governo tiveram um resultado negativo de R$ 12,3 bilhões, mas os estados e municípios apresentaram um superávit de R$ 775 milhões. Já as empresas estatais tiveram um resultado positivo de R$ 11 milhões em outubro.

Dívida pública
Segundo números do Banco Central, a dívida líquida do setor público (governo, estados, municípios e empresas estatais) somou R$ 1,97 trilhão em outubro, ou 34,2% do Produto Interno Bruto (PIB), contra 33,2% do PIB em setembro deste ano (R$ 1,90 trilhão). A dívida líquida considera os ativos do país como, por exemplo, as reservas internacionais – atualmente acima de US$ 370 bilhões. Com o processo de alta do dólar, há valorização das reservas internacionais e isso contribui para diminuir a dívida líquida do setor público.

No caso da dívida bruta, uma das principais formas de comparação internacional, e que não considera os ativos dos países, mas apenas seu endividamento, a dívida brasileira avançou em outubro. Em setembro, estava em 66% do PIB (R$ 3,78 trilhões), passando para R$ 3,81 trilhões, ou 66,1% do PIB, em outubro deste ano.

Minuto Finanças - O Brasil terminará o ano no vermelho

Por conta do resultado ruim das contas públicas neste ano, o Executivo anunciou, no mês passado, uma nova revisão da meta fiscal de 2015. A meta passou de um superávit, nas contas do governo, para um déficit fiscal de R$ 51,8 bilhões – o pior resultado da história. Essa revisão, porém, ainda tem de passar pelo Congresso Nacional.
O governo admitiu ainda que o valor do rombo pode ser maior caso seja incluído o pagamento das chamadas "pedaladas fiscais" (as dívidas da União com os bancos públicos), e não se confirme a receita de R$ 11 bilhões prevista com o leilão de hidrelétricas (que o governo já anunciou que será pago somente em 2016). O déficit pode atingir, deste modo, quase R$ 120 bilhões. 

Música - Acredita, Novo Som


Dicas de leituras

Saúde - A saúde em primeiro lugar


O nosso corpo, para ter plena saúde, depende de fatores genéticos. Mas não podemos esquecer, além disso, que o organismo é aquilo que comemos e bebemos: gordos, magros, doentios, saudáveis, infestados de parasitas...

Entre o que ingerimos está decididamente o ar que inalamos. Os pulmões precisam trabalhar com oxigênio, em condições puras, e não misturado com gazes venenosos. Sua resistência a misturas deletérias,é relativa. 

Não há pulmões de aço. Embora nos dias atuais já existam outras empresas, voltadas a produzir “material pitante”, os jovens cantavam, outrora, maliciosamente: “O meu coração/ é só de Jesus./ Mas os meus pulmões/ são da Souza Cruz.”

De fato, todos nós somos reféns da cultura indígena. Na década de mil novecentos e cinqüenta, médicos americanos se reuniram, e trocaram informações sobre as conseqüências do uso do fumo. Concluíram, sem margem a dúvidas, que provocava câncer, entre outros males. Constataram também que 30% dos óbitos tinham a sua origem no tabaco. 

Essa notícia, para pegar, levou várias décadas. A ingenuidade continuou, a ponto de eu ter ouvido, de um ancião: “eu me tornei nonagenário, porque fumei desde o tempo de criança”. A propaganda, para vender cigarros, apresentava jovens fumantes, alegres, cheios de otimismo, soltando baforadas charmosas. A elegância e o sucesso era com eles mesmo. Eles se esqueciam da feiúra das bitucas, do mau hálito, do incômodo aos circunstantes. Nem se lembravam que em ambientes fechados, o cheiro do fumo penetra nas roupas, e até nos cabelos. (Pode haver cheiro pior do que o do charuto, usado em lugar fechado?)

Hoje em dia o tabagismo já está desmascarado. A legislação está se tornando sempre mais dura, chegando ao ponto de se querer proibir o uso do tabaco em qualquer ambiente fechado. O motivo é que as outras pessoas, nesses ambientes, entram na exposição passiva, tão maléfica quanto o próprio ato de fumar. Entre os fumantes tenho muitos amigos e amigas. Quero-lhes muito bem. Gostaria que fizessem como eu mesmo fiz. Que abandonassem esse perigoso vício, e que colocassem a saúde em primeiro lugar. “Eu te propus a vida ou a morte. Escolhe, pois, a vida”  (Dt 30, 19). No dia 29 de ago

Pelas lentes do fotógrafo Anderson Souza


A beleza do povo Xikrin é dos trunfos desta tribo, que leva consigo a alegria e a determinação de preservar sua cultura no modo de se vestir e de se comportar.

The beauty of the Xikrin people are the strengths of this tribe , which carries with it the joy and determination to preserve their culture in the way of dressing and behaving. Anderson Souza Dois.8 

Poema - Canção do dia de sempre, Mario Quintana

Resultado de imagem para mario quintana
Tão bom viver dia a dia... A vida assim, jamais cansa... Viver tão só de momentos Como estas nuvens no céu...

E só ganhar, toda a vida, Inexperiência... esperança... 

E a rosa louca dos ventos Presa à copa do chapéu. 

Nunca dês um nome a um rio: Sempre é outro rio a passar. 

Nada jamais continua, Tudo vai recomeçar! 

E sem nenhuma lembrança Das outras vezes perdidas, Atiro a rosa do sonho Nas tuas mãos distraídas...

Continua a campanha “Todos Por Jamylle”

Sem título5-vert















Uma jovem cabroboense que reside na Rua 13 de maio no centro da cidade, afirma que sua família já a levou a vários médicos, mas até agora não há um diagnóstico preciso sobre sua doença. “Passei por muitos médicos, depois vieram diversos exames, ao todo 68, mas nenhum deles revelou a verdadeira causa do meu problema. Os médicos suspeitaram de Lúpus ou Esclerodermia Progressiva, mas não se sabe ao certo o que realmente tenho”, disse Jamylle.
A jovem conta que seus sonhos foram interrompidos brutalmente pela doença. “Sempre tive uma vida saudável, cursava técnico de enfermagem, e como toda jovem, sonhava em casar, construir minha família. Sempre fiz questão em cativar amizades, sempre fui uma boa pessoa e levava uma vida normal, só que muitas vezes a vida nos prega peças, e muitas vezes não sabemos o motivo. Em 2010 apareceram alguns sintomas em meu corpo: minhas sobrancelhas começaram a cair, depois veio a perda de peso e a partir daí começou um pesadelo”,  conta a jovem.
Ainda em seu depoimento, Jamile diz também que não perde a fé e que espera uma cura. “Mesmo sofrendo, nunca perdi as esperanças, e minha fé no autor da minha vida que é Deus, e creio que ele me dará a vitória. Hoje estou pesando 35 kg, preciso de ajuda para me deslocar pelos cômodos da casa, minha família não têm condições de comprar os medicamentos, pois são caros. Um deles chama-se Fresubin protein energy drink. Necessito tomar leite insure, que chega a custar R$ 90,00 a lata. Preciso de cuidados médicos, algum hospital que me acolha, de algum especialista que descubra o que realmente tenho”, apela Jamile.
Uma de nossas internautas que mora na cidade do Recife, Edneide Ramos, disse ao comentar sobre o assunto, que já passou por esse tipo de problema há 15 anos. A jovem Edneide ainda indica o nome da Doutora Rosinete, como sendo a pessoa certa para cuidar de Jamile.
Não deixe de participar da campanha, vamos continuar ajudando a jovem Jamile. Já temos iniciativas louváveis como a do cantor Raniery, mas precisamos continuar contando com sua ajuda.
Quem deseja ajudar pode entrar em contato através do número (87) 99623‑4317. Qualquer tipo de ajuda financeira pode ser depositada pela conta poupança da Caixa. A Agência é 3491 e a conta tem o n° 1797-4/Operação: 013 (Caixa Econômica), em nome de Jamylle Ferreira do Nascimento.

Fonte - Didi Galvão

Se houver corte no Bolsa Família, 23 milhões deixarão o programa

valores-bolsa-familia-2015










A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, disse ontem (27) que, pelos cálculos do ministério, se o corte de um terço nos recursos do Bolsa Família para o ano que vem for incluído no Orçamento de 2016, como indicou o relator da Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso, deputado Ricardo Barros (PP-PR), cerca de 23 milhões de pessoas deixarão o programa e, desse total 8 milhões, voltarão para a extrema pobreza.

“Vai ser uma calamidade”, avaliou. “Nós não queremos este cenário para o Brasil”. A ministra comentou, ainda, que o Bolsa Família não registrou até agora qualquer impacto em decorrência da crise econômica pela qual o país atravessa. “A gente não verificou nenhuma alteração de maior ou menor procura pelo Bolsa Família”.

A ministra também disse não acreditar em uma reversão em uma política, segundo ela, tão efetiva como o Bolsa Família. 

%u201CO Cadastro Único não serve apenas para o Bolsa Família, muita gente melhorou de vida. Três milhões de famílias saíram [da extrema pobreza] e nunca mais voltaram”, explicou, acrescentando que são pessoas que melhoraram a condição social.

De acordo com Tereza, o Brasil superou um problema endêmico, que era a situação de fome, mas ele continua em comunidades indígenas, ribeirinhas e quilombolas. “Talvez tenha que ter um trabalho hiperfocalizado nestes territórios”.

Sobre a educação, a ministra avaliou que é um grande desafio e representa uma agenda estrutural que envolve, principalmente, a população pobre. Para a ministra, também é preciso continuar com a agenda de construção de cisternas para garantir água em regiões que enfrentam dificuldades, como também evitar que as crianças voltem para o trabalho infantil. “É o mínimo de dignidade para a população brasileira manter e fortalecer as atuais políticas [sociais]”, disse. 

Pesquisas eleitorais mostram que aliados de Jatene são prejudicados por sua aproximação com chefe do executivo Estadual.


A péssima avaliação do Governo Simão Jatene, tem colocado seus aliados com índices pífios em pesquisas eleitorais realizadas principalmente em dois grandes colégios eleitorais: Belém e Ananindeua onde os possíveis candidatos melhores colocados são de oposição ao Governo o que demonstra ao alto índice de rejeição do Governador que convenhamos não é por menos.

Ao Governo do Estado a pesquisa mostra que a liderança é do Ministro de Portos Helder Barbalho e a surpresa é a colocação do Presidente da ALEPA Marcio Miranda que sem alarde emplacou aí um numero satisfatória que já o coloca no páreo nesse jogo de xadrez visando as eleições Estaduais daqui à três anos, embora muitos pensem que sua pretensão é o Senado da República.


O que o Presidente da ALEPA tem que fazer nesse momento é se desvencilhar- pelo menos que aparentemente- das amarras que o unem ao Governo do Estado, tentar mostrar uma Assembleia Legislativa Independente, motivada pelo crescimento do Estado sem ideologias ou paixão Político partidárias, aí esse crescimento pode ser substancial, ao ponto de coloca-lo definitivamente no páreo e com chances quem sabe de almejar a conquista do executivo Estadual, numa disputa com o atual Ministro do Governo Dilma, Helder Barbalho.


Como bom articulador e conciliador político que é, o Deputado Castanhalense pode usar essa outra vantagem em seu benefício, além do que sua reeleição a direção do Parlamento Estadual se confirmada como parece também será de suma importância.


Existem outros possíveis candidatos que podem aparecer com chances para a disputa como Eder Mauro, Edmilson Rodrigues, mais que vão depender muito de suas atuações nos mandatos aos quais foram eleitos ou de suas avaliações e desempenho nas disputas Municipais que se avizinham em 2016. É aguardar.


Fonte Naldo Lobo

Black Friday?

Um dos dias mais aguardados no ano por lojistas e consumidores, a Black Friday teve origem nos Estados Unidos e hoje é adotada em vários países do mundo, como o Brasil.

Com início nesta sexta-feira, o evento está sua sexta edição por aqui. Os organizadores preveem um crescimento de 12% neste ano nas vendas - um faturamento de R$ 978 milhões.

Nos EUA, o evento acontece tradicionalmente depois do feriado de Ação de Graças, com filas a perder de vista. Todos os consumidores têm um único objetivo: garimpar produtos com descontos que podem chegar a até 90% do preço original.

Mas quando surgiu a Black Friday? Por que o evento ganhou esse nome? Confira dez curiosidades envolvendo um dos dias mais famosos do varejo.

1. O termo Black Friday se referia a crises na Bolsa

Embora esteja hoje associado ao maior dia de compras dos Estados Unidos, o termo Black Friday (literalmente "Sexta-Feira Negra" em inglês) se referia originalmente a eventos muito diferentes.
"O adjetivo negro foi usado durante muitos séculos para retratar diversos tipos de calamidades", afirma o linguista Benjamin Zimmer, editor-executivo do site Vocabulary.com.

Nos EUA, a primeira vez que o termo foi usado foi no dia 24 de setembro de 1869, quando dois especuladores, Jay Gould e James Fisk, tentaram tomar o mercado do ouro na Bolsa de Nova York.

Quando o governo foi obrigado a intervir para corrigir a distorção, elevando a oferta da matéria-prima ao mercado, os preços caíram e muitos investidores perderam grandes fortunas.

Clima quente e seco preocupa a população da minha linda e eterna Cabrobó


chuva 001Precipitação fluvial
Populações das cidades do sertão nordestino vêm sofrendo com temperaturas elevadas, as previsões não são nada animadoras, pois não há previsão de chuvas para os próximos dias. Nesse momento em Cabrobó faz 37º graus, com possibilidades de chegar à casa dos 40 graus até o final da tarde. Todo cuidado é bom para proteção humana, sobre tudo, das crianças e dos mais idosos, os especialistas recomendam pouco esforço físico e beber muita água.

De acordo com dados da secretaria de agricultura do município, nos últimos 4 anos o mês com a melhor média de chuva foi dezembro de 2013, naquele mês caiu 148,6 mm e contribuiu para que o ano tivesse o melhor acumulado dos últimos 4 anos. Já em 2015 a última chuva que caiu em solo cabroboense foi no mês de junho, registros do sistema estadual de meteorologia dão conta que naquele mês houve precipitações pluviométricas de apenas 12 mm. 

Até o momento o acumulado do ano de 2015 é de 187,3 mm se tornando o pior saldo dos últimos 4 anos.

Fonte - Didi Galvão

Gasolina mais cara na CAPITAL do MINÉRIO





















Em menos de três meses a gasolina na CAPITAL do DINHEIRO teve um novo aumento que deixou a população atônita nesta quinta-feira 26.

A gasolina comum que custava R$ 4,230 a partir de agora custará R$ 4,299 e a aditivada que custava R$ 4, 250  está custando nas bombas R$ 4, 319.

Os consumidores pagarão R$ 0,69 a mais para cada litro abastecido, Jesus.

Para se ter uma ideia que enchia o tanque com 50 litros da gasolina comum pagava R$ 211,15 com o novo aumento para encher o mesmo tanque pagará R$ 214,95 ou seja pagará R$ 3,80 a mais, 
brincadeira hein.

Na gasolina aditivada pagava-se para encher o tanque de 50 litros um valor de R$ 212.5 com o novo aumento pagará R$ 215,95 uma diferença de R$ 3, 45. 

Uma dica - é melhor colocar a gasolina aditivada no seu precioso carro.

O vereador Lidemir assume a vereança na CAPITAL do DINHEIRO


O homem do chapéu branco ops o vereador Lidemir assumiu a cadeira que era da vereadora Luzinete Batista e que foi da vereadora Teca na tarde da terça-feira na sessão solene da Câmara Municipal de Vereadores.

Esse vereador é um cara determinado, ele não aceitou um não da justiça da CAPITAL  do DINHEIRO e foi recorrer a instância maior que era em Belém e conseguiu um lugar ao sol ops o seu lugar na Casa de Leis.

Boa sorte ao mais novo vereador.  

Com crise, governo estuda adiar reajuste do salário mínimo em 2016

http://carlosbritto.ne10.uol.com.br/wp-content/uploads/2013/06/dinheiro.jpg 

Preocupada em garantir a realização do esforço fiscal prometido para 2016, de R$ 43,8 bilhões, ou 0,7% do PIB, a equipe econômica do Governo Dilma está discutindo a possibilidade de adiar os reajustes do salário mínimo e dos servidores no ano que vem. Dois interlocutores da equipe confirmaram que a ideia seria passar o reajuste do mínimo de janeiro para maio. Já no caso dos servidores, a proposta em debate seria passar a aumento dos salários de agosto para dezembro. As duas ações seriam uma forma de reduzir os gastos do governo para compensar a frustração de receitas que não devem se confirmar.

Ex-garçom que virou psicólogo e palestrante ensina a pensar como patrão

João Cordeiro foi garçom por 5 anos, e hoje é dono de uma consultoria de gestão
João Cordeiro foi garçom por 5 anos, e hoje é dono de uma consultoria de gestão 

Pensar como patrão faz diferença, segundo o consultor João Cordeiro, 58. Ele trabalhou por cinco anos como garçom. Hoje, formado em psicologia, é dono de uma consultoria de gestão que atende empresas multinacionais. Mas, segundo o coach que também faz palestras e escreve livros, é comum os empreendedores pensarem como funcionários. 

"Tem dono que não trata a empresa como sua. Ele coloca a empresa a seu serviço e não o contrário. Qual a dificuldade? É que eles precisam assumir muito mais responsabilidade, mas a maioria não quer isso e cria um mecanismo de autoproteção para protelar algumas decisões", diz Cordeiro. 

Desde quando cursava psicologia, tinha em mente montar o próprio negócio. Para pagar a faculdade, trabalhou como garçom. Logo que se formou, abriu uma consultoria. "Eu nunca me vi como funcionário. Tinha meus objetivos muito claros. Aceitei o trabalho de garçom até concluir a faculdade."

Cordeiro diz que com o pouco dinheiro que tinha comprou uma secretária eletrônica, imprimiu cartões de visita e montou sua consultoria no quarto da casa dos pais. O consultor lança neste mês o livro "Desculpability: elimine de vez as desculpas e entregue resultados excepcionais".

Veja cinco dicas dele para pensar como patrão:

1. Entenda que a bola está com você

A partir do momento que montou o seu próprio negócio, segundo Cordeiro, o empreendedor precisa ter em mente que não terá com quem dividir as responsabilidades. "Se abrir uma pizzaria, por exemplo, e o fornecedor entregar algum material ruim, você terá de resolver o problema diretamente com ele. Caso contrário, correrá o risco de perder cliente, se a qualidade do produto diminuir."

2. Pare de culpar fatores externos

Para o consultor, não adianta reclamar da economia ou do governo ou procurar outros culpados se o negócio não vai bem. "É preciso tomar uma atitude, diferentemente de quando você estava empregado, quando era possível transferir a decisão para alguém."

3. Você é responsável pelos seus empregados

Assim como não adianta culpar o governo pelo baixo desempenho do negócio, segundo Cordeiro, também não vale responsabilizar um funcionário quando algo dá errado. "Você o contratou e é o grande responsável por treiná-lo para fazer a coisa certa."

4. Soluções não caem do céu

Cordeiro afirma que o empreendedor não pode esperar que um milagre resolva seus problemas ou que a resposta venha dos livros ou de alguma escola de empreendedorismo. "Claro que o empreendedor deve estudar sempre, mas a iniciativa tem de partir dele. Ele tem de agir assim que o negócio demandar uma decisão."

5. Não adie necessidades

Muitas necessidades da companhia não podem ser adiadas, segundo Cordeiro, e é preciso agir mesmo que isso signifique tomar medidas drásticas. "Atendi uma empresa que precisou demitir funcionários quando perdeu um grande cliente. Após o corte, cresceu 11%. Quando perguntei por que não se fez isso antes, disseram que a decisão vinha sendo adiada há muito tempo porque ninguém tomava a iniciativa."

De novo: Petrobras pressiona Planalto por reajuste de combustíveis

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Com uma dívida total de R$ 506,6 bilhões e reduzindo seus investimentos, a Petrobras tem pressionado o Palácio do Planalto por um novo reajuste dos combustíveis. Embora os preços do petróleo estejam em baixa desde o segundo semestre do ano passado, essa seria uma forma de ajudar a estatal a reequilibrar suas finanças, que foram abaladas, entre outros fatores, pelo escândalo da Operação Lava-Jato.
 
Segundo O Globo, a ideia, entretanto, não tem aval da equipe econômica. Um dos motivos é que um novo aumento dos combustíveis teria impacto na inflação, que este ano deve fechar em dois dígitos — 10,33%, segundo a última estimativa da pesquisa Focus, do Banco Central (BC) — e em 2016 já supera o teto da meta, de 6,5%, de acordo com a mesma pesquisa.
 
Em setembro, a Petrobras reajustou os preços de venda da gasolina em 6% e do diesel em 4% nas refinarias. Os aumentos foram repassados aos consumidores, em muitos casos, em percentuais acima do reajuste dos combustíveis na refinaria, pois muitos postos de gasolina aproveitaram para recompor margens de lucro.

Será que o poder do dinheiro falará mais alto nas eleições da CAPITAL do DINHEIRO?

Resultado de imagem para tomara que odinheiro não faça a diferença
Conversando com alguns analistas políticos da CAPITAL do DINHEIRO com tudo o que vem ocorrendo nesses três anos, em especial esse fadítico ano de 2015 que iremos apagar das nossas mentes, me veio o seguinte questionamento: Será que o poder do dinheiro falará mais alto nas eleições de 2016 na CAPITAL do DINHEIRO?

A cada eleição a gente vê que, cada vez mais, os nossos representantes são escolhidos muito mais pela estrutura de campanha – pelo dinheiro que têm na campanha –, do que necessariamente pelas ideias, pelas propostas ou pelos compromissos com a comunidade. Salvo as exceções que temos em cada partido, cada vez mais vai ficando estreito o espaço daqueles que trabalham apenas com ideias. 

A estrutura do dinheiro influencia cada vez mais a eleição dos representantes, a ponto de lideranças populares, pessoas que têm prestígio na sua comunidade não se aventuram na atividade política porque sabem que não têm a estrutura necessária para enfrentar o jogo que será jogado. Isto precisa mudar. 

Eu, acredito que nas eleições do ano que vem haverá um determinado equilíbrio, de modo que, quem vá para a disputa eleitoral, possa fazê-lo numa estrutura equilibrada, onde prevaleça o prestígio, a liderança, as propostas, as ideias e o compromisso assumindo com a comunidade.

99,99% da população da CAPITAL do DINHEIRO desconhecem

Resultado de imagem para quem é
Nas minhas andanças por alguns bairros da CAPITAL do DINHEIRO conversei com vários moradores para saber se eles se lembravam dos nomes dos ex-secretários municipais que foram os responsáveis pelas secretarias desde 2013, 2014 e 2015.

99,99% disseram que não se lembram desses secretários municipais da CAPITAL do DINHEIRO, 

Alguns ex-secretários foram tão fracos, mas tão fracos que saíram das suas respectivas secretarias sem deixar saudades e sem nada produzir de produtivo para a cidade.

Pasmem, tem alguns desses secretários que nada fizeram que logo, logo baterão nas suas portas queridos leitores dizendo que fizeram a diferença e pedirão seus preciosos votos.

Muitos ops os 99,99% perderam o poder, mas acham que estão com a bola toda, pousando de puros para a população, só que eles esquecem que 99,99% desconhecem os mesmos.   

Aluga-se, aluga-se, vende-se e vende-se na CAPITAL do DINHEIRO


É impressionante a quantidade de placas de "ALUGA-SE" e "VENDE-SE" que estamos vendo pela CAPITAL do DINHEIRO.

Os empresários do ramo de imoveis andam em polvorosa com tantos apartamentos, quitinetes e casas ociosas ops desalugadas por falta de demanda.  

Está é uma realidade, não se trata de ser otimista ou pessimista, é fato e contra fatos não há argumentos. O que podemos fazer é entender porque isso está acontecendo de forma tão aguda e sintomática. Será que realmente a culpa é só da crise? 


Tudo começou desde 2014 com a queda anunciada do preço do minério que no auge chegou a U$$ 190 e que hoje patina na casa de U$$ 50, com isso a arrecadação da CAPITAL do DINHEIRO caiu bruscamente sem nenhum pudor.

A nossa economia depende exclusivamente da exploração do minério de ferro e da China nosso maior parceiro econômico de todos os tempos.


As casas, apartamentos e quitinetes disponíveis hoje na CAPITAL do DINHEIRO se for comparar cabe a cidade de Bannach inteirinha dentro.


Para se ter uma noção os empresários do ramo imobiliário alugavam suas casas no valor de R$ 4,500 hoje a mesma casa não passa de R$ 2,000,00, apartamentos que custavam R$ 800,00 hoje não sai por menos de R$ 500,00, as quitinetes antes custavam R$ 500,00 hoje, pasmem não sai por menos de R$ 300,00. Tem uns engraçadinhos que estão alugando por R$ 200,00. 


Assim está a CAPITAL do DINHEIRO até dono de condomínio está colocando o seu a venda, devido a crise que vem abalando a cidade que mais exporta no Brasil.




O comércio da CAPITAL do DINHEIRO parou


Nas minhas caminhadas pelo calçadão da PA-275 aos domingos ensolarados da CAPITAL do DINHEIRO observei e tirei a foto do Shopping Center a céu aberto mais famoso e importante do estado do Pará. 

A foto foi tirada exclusivamente sem ninguém, praticamente sem carros para ilustrar como se encontra uma das ruas comerciais mais importantes do Pará e do Brasil, está parada, sem movimento, vendas em declínio, consequentemente, pasmem demissões em massa, nunca visto antes nos últimos 10 meses desses 27 anos de emancipação politica, econômica e administrativa.

A CAPITAL do DINHEIRO ops os comerciantes e os desempregados e os que estão empregados tem que orar, mas orar muito pela China, para que essa potencia volte a comprar como antes o nosso precioso minério, caso contrário a crise afetará a todos que moram nessa cidade abençoada por Deus que colocou a maior reserva mineral do PLANETA.        

Música - Geração Flórida, Marcos Antonio


Minuto Finanças - O que fazer com o 13º

Reprodução
No mundo ideal e perfeito, as pessoas deveriam conseguir pagar as suas contas e demais despesas com o seu próprio orçamento. 

Na prática, cada vez mais isso não ocorre. E estas ficam dependendo de um dinheiro extra para poder sanar suas dívidas, viajar e para ser as festividades, principalmente do final de ano. 

Como uma parcela significativa da população não é educada financeiramente, não sabem como agir quando recebem uma remuneração extra, como o 13º salário. 

Com isso não choquem, mas o 13º deve ser encarado como uma renda adicional e no geral não deve ser usado para sair que nem louco pagando dividas e nem fazendo compras ou viagens , mas sim deve ser um dinheiro para ser poupado. 

O mais engraçado que este rendimento adicional chega em um momento bem favorável para ser gasto, afinal, ele vem próximo às comemorações de Natal e Ano Novo.

O que fazer com o precioso 13º salário?

Analise suas finanças,

Reserve uma parte do dinheiro para arcar com os gastos de início de ano (janeiro e fevereiro) como: IPVA, IPTU, matrículas e materiais escolares, e demais gastos,

Poupe e invista,

.


Pelas lentes do fotógrafo Anderson Souza


Hoje tem Bola na Tribo - Índios Xikrin's fazem uma disputa acirrada durante partida de futebol que acontece todos os fins de tarde na aldeia Kateté. 

Dicas de Leitura

Saúde - Beneficios da Leitura

Você sabia que o hábito da leitura pode ajudá-lo a ter mais saúde? Quem lê é capaz de adotar estilos de vida mais saudáveis, gerir melhor doenças crônicas e compreender a mensagem do médico durante uma consulta, por exemplo. A constatação veio de uma pesquisa realizada em dois centros de Saúde de Coimbra, em Portugal, com 342 pacientes.


Ativar a memória

Ler é um santo remédio para estimular a memória e a atenção. “Nenhuma outra atividade mobiliza tantas variações da memória quanto a leitura de livros, jornais e revistas. Mas não basta simplesmente ler, é preciso refletir sobre o que está sendo lido”, enfatiza o neurologista João Roberto Azevedo. O escritor e médico Moacyr Scliar concorda e afirma que a leitura é um dos exercícios mais eficientes e baratos para ativar a mente: “Entre ir à farmácia e comprar alguma substância duvidosa para fortificar o cérebro, ou escolher um bom livro, recomenda a última opção”, escreve.

Aliviar o estresse

É por meio da leitura que temos a chance de visitar outros países, conhecer outras culturas, saber histórias de pessoas tão distantes de nós em época ou espaço. Além disso, é uma ótima companhia para aproveitar o tempo livre.

Conhecer o próprio corpo

Quem lê adquire conhecimento para entender o que o médico diz durante uma consulta. Dessa forma, o paciente-leitor pode compreender melhor o diagnóstico e colaborar com o tratamento de doenças crônicas. Ao manter o hábito você estará cuidando da própria saúde!



Popular Posts