Seguidores

Jornais impressos estão com seus dias contados na CAPITAL do DINHEIRO

Resultado de imagem para jornal correio do pará em parauapebas
Há uma década e meio atrás os jornais impressos na CAPITAL do DINHEIRO faziam um sucesso danado, ops, abençoado, rendiam milhares de reais para os proprietários com seus “milhares” de exemplares vendidos, ops, esqueçi, rsrsrs, distribuídos para a população que adoravam saber sobre as últimas novidades.

Lembro que havia uma disputa entre os proprietários de jornais para mostrar a população quem soltava mais exemplares, uns chegavam ao cúmulo do absurdo dizendo que imprimiam 5 mil exemplares, outros 3 mil quando na verdade muitos não soltavam mais do que 1 500 exemplares. Os proprietários dos jornais impressos contratavam os melhores “jornalistas” para seus quadros, mesmo não pagando o valor combinado, mas deixando para lá isso, rsrsrsrs, pois não interessa a vocês, rsrsrs, com os melhores quadros em mãos iam atrás das melhores noticias, essas melhores, rsrsrsrs, infelizmente se referiam as mortes, pois quando tinha uma  de grande magnitude às vendas, ou, distribuição aumentavam assustadoramente devido à procura, velhos tempos.

Hoje, infelizmente alguns jornais sobrevivem graças a contatos com a prefeitura, caso raríssimo, poucos nesses quatro anos foram beneficiados, vindo 90% a falência, pois estavam acostumados a depender das benesses da prefeitura. Parabéns aos sobreviventes, eles foram sábios, rsrsrs, continuaram com os impressos, porém, criaram os famosos portais e sites para ter folego na hora da negociação.

Para se ter ideia décadas atrás, ops, uma década e meio, os proprietários produziam, segundo eles 3 mil exemplares e até 31.12.2016 produziram 1 500, esses caso tivessem contratos com a prefeitura, os que não tinham rodavam aproximadamente 500 exemplares, uma queda significativa e o fim de muitos jornais, triste realidade.


Resultado de imagem para jornal hoje de parauapebas
Poucos jornais impressos são vistos nas bancas, ou, nas poucas bancas que existem na CAPITAL do DINHEIRO, em suma, foram pouquíssimos os que sobreviveram a essa mudança radical de mercado, onde as redes sociais são mais rápidas e competitivas.       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Popular Posts