Seguidores

Amat Carajás em estado terminal

Resultado de imagem para AMAT NO ESTADO DO PARÁ
Há 37 anos, mas precisamente em 1980, foi criado na região Sul e Sudeste do Pará a Associação dos Municípios do Araguaia e Tocantins (Amat), com o objetivo de buscar alternativas para o desenvolvimento regional sustentável, e exercer um papel fundamental para a consolidação de um processo de desenvolvimento, identificando a potencialidade de cada região.

Até os idos de 2005 a poderosa Amat sempre foi controlada pelas oligarquias políticas da região sempre dividindo o poder, entre os municípios de Marabá, Parauapebas e Tucuruí até um determinado tempo.  

Os municípios que fazem parte da AMAT são: Abel Figueiredo, Água Azul do Norte, Bannach, Bom Jesus do Tocantins, Brejo Grande do Araguaia, Breu Branco, Canaã do Carajás, Floresta do Araguaia, Goianésia do Pará, Itupiranga, Jacundá, Nova Ipixuna, Novo Repartimento, Ourilândia do Norte, Palestina do Pará, Parauapebas, Pau D’Arco, Piçarra, Redenção, Rio Maria, Rondon do Pará, Santa Maria das Barreiras, Santana do Araguaia, São Domingos do Araguaia, São Félix do Xingu, São Geraldo do Araguaia, São João do Araguaia, Sapucaia, Tucumã, Tucuruí, Ulianópolis e Xinguara.

Há 7 anos atrás, vinte prefeitos, reunidos em Marabá, rsrsrsrs, decidiram mudar o nome da Associação dos Municípios do Araguaia e Tocantins (AMAT). O nome da entidade, a partir daquele momento seria AMAT Carajás, segundo eles a mudança visava o fortalecimento da luta pela criação do Estado de Carajás.

O auge da Amat foi até 2008 depois disso, virou mais uma Associação sem expressividade, para acabar de levar a mesma para a UTI, foi a disputa entre João Salame, prefeito de Marabá e o prefeito Sancler Ferreira de Tucuruí, onde a máquina administrativa e financeira do governador Simão Jatene, entrou em ação dando a vitória ao prefeito de Tucuruí que obteve 25 votos, contra 11 do Salame  

Hoje, a Amat Carajás é uma Associação como outra qualquer, sem a expressão de outrora, onde os interesses adentrou a instituição causando estragos que até hoje, os prefeitos das grandes cidades do Sul e Sudeste não querem mais nem saber de administra-la, passando as recentes administrações para os prefeitos de cidades pequenas e sem expressão no cenário político, como Palestina, Bannach e São Domingos do Araguaia.


O prefeito de São Domingos do Araguaia Pedro Paraná (PPS), tornou-se o novo presidente da Amat Carajás, onde venceu o prefeito de Conceição do Araguaia Jair Martins (PMDB), com 21 votos, contra 17 provando que os prefeitos dos municípios economicamente fortes, estão a cada ano se distanciando.  

Para se ter noção do descaso em que se encontra a Amat Carajás, a nova diretoria é formada pelos prefeitos de municípios sem expressão como São Domingos do Araguaia, Rondon do Pará e Rio Maria. Os grandes municípios, ops, os prefeitos de Parauapebas, Marabá, Tucuruí e Redenção nem lançaram seus nomes para concorrer a presidência, pois entenderam, que não tem futuro administrar, uma instituição em estado terminal. 



Nota - Alguns jornalistas afirmam que a instituição foi criada em 12 de novembro de 1977.

Nota - Usei os dados de um jornalista que disse que foi fundada em 1980.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Popular Posts