Seguidores

Obras de prolongamento da Rua E começam este ano


 
Foi assinado na tarde desta segunda-feira, 18, o convênio para a obra de duplicação da Rua E. Estiveram presentes secretários municipais, a imprensa local, representantes da comunidade, os vereadores Odilon Rocha (SDD), Antônio Chaves, o Major da Mactra (PSDB), João Assi (SDD), Charles Borges (SDD), José Pavão (SDD), Maridé Gomes (PSC), Devanir Martins (SDD), Ivanaldo Braz (SDD), o presidente da Câmara, vereador Josineto Feitosa e o prefeito de Parauapebas, Valmir Mariano. O convênio assinado entre a prefeitura e a Construtora Susseso tem o objetivo de desafogar o tráfego de umas das vias mais movimentadas do município.

A obra, que custará mais de 100 milhões de reais, vai aumentar a capacidade de circulação na rodovia PA 275 e modificará trechos da Rua 10 e 14. A previsão de conclusão do projeto é de vinte meses e o trecho a ser duplicado será da rotatória do quartel da Polícia Militar ao viaduto da Rodovia PA 160. O projeto vai alterar, também, o paisagismo urbanístico e implantará na cidade viadutos, ciclovias e ciclofaixas.

Para o presidente da Câmara a obra é essencial para o desenvolvimento da cidade. “A assinatura deste convênio é importante para Parauapebas, pois é mais uma obra que vai alterar o cotidiano de nosso povo. Nós, vereadores, estamos prontos para ajudar o Executivo a promover mudanças e transformações que melhore a rotina de nossa gente”, afirmou Josineto.

Ao se pronunciar sobre o convênio, o prefeito Valmir Mariano ressaltou a necessidade da obra para a segurança da população. “A média de mortes em acidentes de trânsito no país é de 18 para cem mil habitantes. Em Parauapebas esse número sobre para 40, causando-nos uma grande preocupação. Queremos uma cidade que cresça e se desenvolva com qualidade de vida, por isso continuaremos a implementar projetos que promovam o bem estar que a cidade merece”, concluiu.

Beto Albuquerque deve ser anunciado como vice de Mariana na próxima quarta (20)

Marina e Beto










O deputado federal Beto Albuquerque, candidato do PSB à vaga de senador pelo Rio Grande Sul, é o favorito no partido para assumir a vaga de vice na chapa de Marina Silva à Presidência da República. Ambos e a cúpula da legenda estiveram juntos em Recife, neste domingo (17), para o enterro do ex-governador pernambucano Eduardo Campos.
Após a morte de Campos, em um acidente aéreo em Santos, o partido já definiu a escolha de Marina para encabeçar a coligação. Mas falta ainda resolver o posto de vice.
A decisão será oficializada somente na quarta-feira (20), quando lideranças do partido se reúnem em Brasília, mas começará a ser desenhada nesta segunda-feira (18), antes de a cúpula pessebista deixar Recife.
O nome de Albuquerque será discutido durante um encontro e, em seguida, as lideranças irão debater as alternativas nos Estados na terça-feira (19). No dia seguinte, na capital federal, a nova chapa será oficializada.

Dilma leva de goleada em entrevista no JN

dilma1-580x324
Quem assistiu a entrevista da presidenta Dilma, concedida na noite desta segunda aos apresentadores, Willian Bonner e Patrícia Poeta, do Jornal Nacional da Rede Globo, logo veio à memória o desastroso jogo da seleção brasileira contra a Alemanha, valido pelas semifinais da copa do mundo.
Naquele jogo, o que os brasileiros presenciaram, foi uma seleção sem poder de reação, sem capacidade de responder a fúria dos alemães. Nessa noite, assim foi Dilma. As perguntas de Willian Bonner e Patrícia Poeta eram direcionadas a presidenta, com o mesmo poder que o ataque da Alemanha partia pra cima da frágil defesa brasileira. A defesa de Dilma ao próprio governo é tão frágil, que o placar final não poderia ter sido outro. Bonner e Patrícia ganharam de goleada, talvez um pouco mais que 7X1.
Assim como a seleção brasileira jogou e foi humilhada na própria casa, a presidenta Dilma recebeu os alemães, ou melhor, Willian Bonner e Patrícia Poeta, em sua própria casa. Por ser a presidenta da república, Dilma contava com toda a regalia de conceder a entrevista no palácio do planalto.
Mesmo desnorteada pela humilhante goleada diante da seleção da Alemanha, o Brasil teve que ir a campo disputar o terceiro lugar. O regulamento da copa é bem claro nesse caso, os dois perdedores das semifinais disputam a terceira colocação do torneio. No caso de Dilma, não existe regulamento que a obrigue a participar de outra entrevista ao vivo. Resta agora saber se a presidenta tem poder de reação a essa altura do campeonato. A seleção brasileira não teve, amargou mais uma derrota e ficou com o vergonhoso quarto lugar.
dilmajn

Japão desenvolve exame de sangue para detectar 13 tipos de câncer

Descoberta pode levar a exame de sangue para detectar Alzheimer  (Foto: Science Photo Library)
O Centro Nacional de Câncer do Japão espera concluir, no prazo de cinco anos, o desenvolvimento de um método que permita o diagnóstico precoce de 13 tipos de câncer mediante um simples exame de sangue.
O projeto, com custo estimado em 57 milhões de euros, visa contribuir especialmente com a detecção precoce do câncer de mama, estômago, esôfago, pulmão, fígado, vesícula, pâncreas, colo, ovário, próstata e bexiga.
O método também pode ajudar na detecção precoce de doenças degenerativas como o Mal de Alzheimer.
Trata-se de verificar a presença no sangue de micro-ácidos ribonucleicos (microARN), cujo aumento indicaria o desenvolvimento de um câncer. Mais de 2.500 variedades destas moléculas foram descobertas no corpo humano e podem servir de "marcadores" para detectar diferentes tipos de câncer, em um método muito mais rápido que a atual bateria de exames.
Várias equipes de pesquisadores da Europa e dos Estados Unidos já analisam o papel dos microARN nos casos de diversos tipos de câncer, mas os japoneses esperam chegar mais longe nas investigações, que ainda não permitiram elaborar um teste comercial.
O programa é dirigido pela Organização Japonesa de Novas Energias e Tecnologias Industriais (Nedo), que apoia pesquisas em diversos âmbitos, com o apoio de várias empresas, entre elas Toray Industries e Toshiba, que têm grandes ambições na área médica.
O projeto é baseado em dados obtidos com 65 mil pacientes através do Centro Nacional do Câncer. "Se conseguirmos desenvolver o primeiro teste mundial de alta precisão no Japão, isto poderá aumentar em vários anos a esperança de vida das pessoas e contribuir para o desenvolvimento das indústrias japonesas", disse Tomomitsu Hotta, presidente do centro, citado pela agência Kyodo.
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o câncer matou 8,2 milhões de pessoas em 2012. Os mais letais são de pulmão, estômago, fígado, colo e mama.

Assassinando a língua portuguesa


Assassinando a língua portuguesa na rua D. 

ELEIÇÕES 2014: Lula e Temer têm reclamado que não participam das decisões de campanha de Dilma

(Foto: O Globo)
Dilma Rousseff aposta em Lula para conquistar os votos da massa e arregimentar as bases petistas.

Do vice-presidente Michel Temer, espera que mantenha o PMDB sob rédea curta, conspirando o mínimo possível contra sua reeleição.
Apesar de considerados estratégicos, esses dois cabos eleitorais têm reclamado de não participarem das decisões da campanha e se queixado do estilo centralizador da presidente.

“Ela precisa ouvir mais”, disse Lula, recentemente, a um senador.
Já os peemedebistas, em defesa de Temer, repetem uma cantilena ameaçadora: “Se ela tratar bem o partido, colherá agradecimento. Se tratar mal, colherá ressentimento”.

Livros - Dois milhões

Cristiane: novo livro na praça
O livro da filha de Edir Macedo acaba de bater a marca de 2 milhões de exemplares vendidos – um número que nos últimos anos apenas Ágape do Padre Marcelo Rossi alcançou.

Metade das vendas de Casamento Blindado, de Cristiane Cardoso, foi feita em pontos tradicionais e a outra em locais evangélicos – ou seja, igrejas e livrarias especializadas.

Pastor Silas Malafaia: "Eu vou dar meu apoio ao Everaldo"

Apoio-Silas-Malafaia-Magno-Liderancas-w1 

Em minhas viagens pelo Brasil, tenho me reunido com lideranças de vários segmentos deste País. Neste dia 10 de julho, no Rio de Janeiro, a reunião foi com lideranças evangélicas. O senador Magno Malta, que já havia declarado seu apoio à nossa candidatura anteriormente, nos convidou para uma reunião com o Pastor Silas Malafaia e várias lideranças: Pr Jabes Alencar (AD Bom Retiro), Pr Flamarion Rolando (Igreja do Evangelho Quadrangular), Pr Abner Ferreira (AD Madureira), Pr Michael Aboud (Igreja Embaixada do Reino de Deus), Ap Cesar Augusto (Igreja Apostólica Fonte da Vida), Pr Wilton Acosta (Presidente do FENASP - Frente Nacional Cristã de Ação Social e Política) e outros. 

Nós apresentamos ao seleto grupo nossas propostas para a população brasileira. E eles declararam que vão apoiar a nossa candidatura, o que me deixou muito satisfeito e ainda mais empolgado com o crescimento da aceitação de nossa proposta de fazer um governo cujo foco será servir à família e ao cidadão brasileiro.

Padrão Lesma

transnordestina 
As obras da ferrovia Transnordestina começaram em 2006 e deveriam estar concluídas em 2010. Depois, adiaram para 2012. Agora, o novo prazo é 2016 – embora dos 1 773 quilômetros de ferrovia, apenas 96 foram concluídos.

Outra estimativa que foi pelos ares é a de custos: passou de 5,4 bilhões de reais para 9,6 bilhões de reais, um aumento de 77%. Dos 1 773 quilômetros de ferrovia, apenas 96 foram concluídos.
Por Lauro Jardim

Mesmo em posição incerta, Marina Silva já é a maior ameaça à hegemonia PT-PSDB em 20 anos

 Ex-senadora e ex-ministra Marina Silva participa do programa Roda Viva da TV Cultura
Estadão Conteúdo -  Ex-senadora e ex-ministra Marina Silva participa do programa Roda Viva da TV Cultura

Em 18 de julho de 2014, diante dos primeiros embates entre eleitores na internet, e ao término da Copa do Mundo no Brasil, escrevi, em meu primeiro post neste blog, que a eleição havia finalmente começado. Não poderia saber (ninguém poderia), mas estava equivocado. A eleição anunciada há exato um mês começa em 18 de agosto de 2014, um dia após o enterro de Eduardo Campos, morto aos 49 anos em um acidente aéreo em Santos (SP).

Que ninguém se iluda: em meio às solenidades e homenagens ao jovem líder pernambucano, que entrou na eleição como força promissora e sairá como mito, uma nova eleição, com novos prognósticos e novas estratégias, é desenhada pelos principais nomes da disputa. Sem os três postulantes originais, tudo o que foi dito/escrito/analisado/planejado até o momento passa a ser descartável.

Nesse novo cenário, Marina Silva será a candidata do PSB à Presidência. Seja quem for o escolhido a vice, é dela a missão de levar a cabo os compromissos assumidos por Campos em sua curta campanha. Isso, por si, faz de Marina uma candidata sui generis. Ela não será a candidata da Rede Sustentabilidade, o partido que tentou, sem sucesso, registrar na Justiça Eleitoral para pavimentar a sua candidatura ao Planalto. (Para quem é conhecedor das peças ora trágicas ora irônicas do destino, a inevitabilidade dessa candidatura, no fim das contas, é um prato cheio).

Tampouco Marina será a Marina de 2010, quando se lançou candidata pelo Partido Verde, uma legenda que tinha nome e programa conhecidos, mas histórico de desempenho pífio nas urnas. Juntos, eles obtiveram quase 20% dos votos válidos no primeiro turno, no que ficou conhecido como “avalanche verde”. Essa avalanche foi provocada por Marina, uma liderança nacional, ex-ministra e ex-senadora, que encarnou um discurso pós-Lula com o resgate de outra figura histórica, Chico Mendes.
14 de abril - Brasília, Brasil - O escritor Ariano Suassuna beija a mão de Marina Silva (PSB) durante o evento de pré- lançamento da chapa presidencial de Eduardo Campos (PSB) e Marina, realizado no Salão Azul do Hotel Nacional, em Brasí­lia (DF), nesta segunda-feira (14). O evento tem dois objetivos principais segundo integrantes da legenda: estancar as especulações de que a ex-senadora pode ser a cabeça de chapa e dar o start para uma massificação do nome do ex-governador de Pernambuco.

Eleições 2014 - Nutricionista é a profissão que mais cresceu entre os candidatos em 4 anos


Sobe e desce das profissões entre as eleições de 2010 e de 2014
A profissão de nutricionista foi a que mais cresceu nos registros dos candidatos entre as eleições de 2010 e de 2014, segundos dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Há quatro anos, apenas dois concorrentes registraram a ocupação. Neste ano, o número subiu para 17, o que representa uma alta de 750%.
Proporcionalmente, nenhuma outra profissão teve uma elevação como a de nutricionista, mas outras 124 ocupações também registraram alta. Entre elas, estão a de esteticista (133,3%), empregado doméstico (100%), manicure e maquilador (90%) e dona de casa (69,7%).Além disso, 88 profissões tiveram queda entre as eleições. Há quatro anos, 1.258 candidatos registraram a ocupação de comerciante. Hoje, o número é de 1.154, uma queda de 8,3%. As baixas foram maiores em outra profissões, como agricultor (10,4%), engenheiro (19,9%), cobrador de ônibus (31,6%) e veterinário (34,8%). 

Avaliação da presidenta Dilma

A pesquisa mostra que a administração da presidente Dilma tem a aprovação de 38% dos eleitores – no levantamento anterior, divulgado em 17 de julho, o índice era de 32%. O percentual de aprovação considera os entrevistados que avaliaram o governo como "bom" ou "ótimo". A pesquisa mostra ainda que o índice dos que desaprovam a gestão, ou seja, consideraram o governo "ruim" ou "péssimo", foi de 23% (era 29%). Dos ouvidos, 38% consideram o governo como "regular" (mesmo percentual anterior).
O resultado da pesquisa de avaliação do governo Dilma foi o seguinte:
- Ótimo/bom: 38%
- Regular: 38%
- Ruim/péssimo: 23%

Dilma tem 36%, Marina, 21%, e Aécio, 20%, diz pesquisa Datafolha

Do G1, em São Paulo
Datafolha -18/08/2014 (Foto: Editoria de Arte / G1)
Pesquisa feita pelo Datafolha para o jornal "Folha de S.Paulo" divulgada na edição desta segunda-feira (18) mostra Dilma Rousseff (PT) com 36% das intenções de voto para presidente, seguida de Marina Silva (PSB), com 21%, e Aécio Neves (PSDB), com 20%.
É a primeira pesquisa que inclui um cenário em que a ex-senadora Marina Silva é o possível nome do PSB no lugar do ex-governador Eduardo Campos, que morreu na quarta-feira (13), em um acidente de avião. O PSB ainda não definiu se Marina será a candidata substituta, mas lideranças dão a escolha como certa.
No levantamento anterior do Datafolha, realizado nos dias 15 e 16 de julho e divulgado no dia 17,Dilma tinha 36%, Aécio, 20%, e Eduardo Campos, 8%.
O percentual de entrevistados que disseram não saber em quem votar ou que não responderam foi de 14% em julho e agora atingiu 9%. Brancos e nulos eram 13%; agora são 8%. O quarto colocado na pesquisa, pastor Everaldo (PSC), aparece com 3% das intenções de voto; no levantamento anterior, tinha os mesmos 3%.
A pesquisa mostra que, se a eleição fosse hoje, haveria segundo turno: Dilma teria 36% contra 46% da soma dos demais candidatos. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 36% contra 36% dos demais, o que indicava uma incerteza sobre a necessidade de segundo turno.
O resultado da atual pesquisa mostra que, se for confirmada candidata do PSB no lugar de Campos, Marina começa a campanha em situação de empate técnico com Aécio Neves, numericamente à frente do tucano: 21% a 20%, dentro da margem de erro, de dois pontos percentuais.
Marina larga também em situação de empate técnico com Dilma na simulação de segundo turno: Marina com 47% e Dilma com 43%. O Datafolha não pesquisou um cenário entre Marina e Aécio. No cenário entre Dilma e Aécio, a petista tem 47%, e o tucano, 39%.
O levantamento foi encomendado pelo jornal “Folha de S.Paulo”. O Datafolha ouviu 2.843 eleitores em 176 municípios nos dias 14 e 15 de agosto. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que o instituto tem 95% de certeza de que os resultados obtidos estão dentro da margem de erro.
A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00386/2014.
Veja os números do Datafolha para a pesquisa estimulada (em que a relação dos candidatos é apresentada ao entrevistado):
Dilma Rousseff (PT): 36%
Marina Silva (PSB): 21%
Aécio Neves (PSDB): 20%
Pastor Everaldo (PSC): 3%
José Maria (PSTU): 1%
Eduardo Jorge (PV): 1%
Luciana Genro (PSOL): 0%
Rui Costa Pimenta (PCO): 0%
Eymael (PSDC): 0%
Levy Fidelix (PRTB): 0%
Mauro Iasi (PCB): 0%
- Brancos/nulos/nenhum: 8%
- Não sabe: 9%
Segundo turno
Nas simulações de segundo turno, o Datafolha avaliou os seguintes cenários:
- Marina Silva: 47%
- Dilma Rousseff: 43%
- Dilma Rousseff: 47%
- Aécio Neves: 39%
O Datafolha não realizou a simulação de uma disputa entre Aécio Neves e Marina Silva.

Eleições 2014 - Evangélicos se unem na Alerj e na Câmara

Sete dos 70 deputados da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) se declaram evangélicos no site da instituição — Edson Albertassi (PMDB), Waguinho (PMDB), Marcos Soares (PR), Armando José (PSB), Graça Pereira (PRTB), Samuel Malafaia (PSD) e Édino Fonseca (PEN). Os sete são candidatos — Soares é postulante à Câmara Federal, enquanto o restante busca a reeleição na Alerj.

Segundo o deputado Édino Fonseca, pastor da Assembleia de Deus desde 1972, o grupo não existe formalmente, mas vota como bloco sempre que um projeto contraria interesses evangélicos.
— Em Brasília, existe bancada consolidada. Aqui, temos bancada que não se reúne regularmente para discutir temas, mas se une quando é necessário — afirma o deputado, citando temas como aborto, legalização das drogas e também direitos homossexuais.

De acordo com ele, cerca de 17 deputados costumam votar com a bancada.
Na Câmara Municipal, a bancada evangélica também não é constituída formalmente. De acordo com o vereador Alexandre Isquierdo (PMDB), da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, dos 51 vereadores, sete integram o grupo:
— Quando recebemos projetos de lei contrários aos nossos preceitos, nos unimos.


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/brasil/eleicoes-2014/evangelicos-se-unem-na-alerj-na-camara-13627141.html#ixzz3Af1mbIdw

Número de candidatos pastores evangélicos aumenta 70%

O deputado Pastor Marco Feliciano
O número de candidatos que se declararam pastores nas eleições deste ano aumentou 70% em relação à disputa de 2010. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 276 candidatos incluíram a identificação de pastor nos nomes que aparecem nas urnas — a maioria busca uma cadeira como deputado estadual ou federal.

O Rio é o segundo estado com o maior número de candidatos que se identificam como pastores: são 36, um a menos do que São Paulo, que tem 37. No Rio, o aumento foi de 125% em quatro anos.

O aumento de líderes evangélicos candidatos tem provocado disputas internadas pelo voto dos fiéis, que representam 22% da população brasileira, segundo o Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
— Nas eleições proporcionais, há briga entre eles e o voto se pulveriza, se divide entre os vários postulantes. Apesar de terem uma identidade religiosa, eles são diferentes. A mistura entre o púlpito e o palanque é um problema, porque leva para dentro da igreja uma divisão que está fora dela — explicou o cientista político Cesar Romero Jacob, da PUC, que estuda o papel das igrejas nas eleições. — Já nas disputas por cargos majoritários, evangélicos pentecostais, como os fiéis da Assembleia de Deus e da Universal, votam nos irmãos.

‘Evangélicos esquerdistas’

Candidato pelo PSC, Pastor Everaldo é o primeiro postulante à Presidência a usar o nome “pastor” nas urnas. Ele afirma que a escolha não foi planejada:
— Não incluí o pastor na urna. Sou pastor, não posso esconder isso. É assim que sou conhecido — disse Everaldo, que, segundo as pesquisas, tem 3% das intenções de voto. — Sou neto de pastor, filho de pastor. Tenho orgulho de ser pastor.

Em vídeo postado na internet, o pastor Marco Feliciano, candidato à reeleição à Câmara dos Deputados do partido do Pastor Everaldo, ataca o PT e também evangélicos que apoiam a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição:
— Eles não comungam do nosso pensamento. Acham que os que primam pela família, que são contra as drogas e o aborto, promovem o retrocesso. Quem nos chama de retrocesso são esses evangélicos esquerdistas, que apoiam o que o PT promove. Não caia no conto deles. A maioria dos evangélicos que apoiam esses líderes receberam uma fortuna para isso.

Dilma e Lula participam do velório de Eduardo Campos no Recife

Dilma (Foto: Reprodução)
A presidente Dilma Rousseff  e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegaram ao Palácio das Princesas, sede do governo de Pernambuco, no Recife, por volta das 10h deste domingo (17) para acompanhar o velório do ex-governador do estado, Eduardo Campos.
Assim que chegaram, Dilma e Lula receberam vaias de parte do público. Logo em seguida, aplausos surgiram do palco onde estão as autoridades. O público, então, aplaudiu também.
A presidente e seu antecessor foram recebidos pela família de Campos e por Marina Silva, escolhida para ser a candidata do PSB à Presidência da República no lugar do ex-governador.
Dilma ficou mais distante do caixão. Ela estava ao lado do ex-governador de São Paulo, José Serra, com quem disputou a Presidência em 2010.
O ex-presidente Lula abraçou fortemente os filhos de Campos e teve uma conversa longa com a viúva, que chegou a sorrir em alguns momentos.
No palco onde estão as autoridades, acompanham o velório políticos como o ministro da Casa-Civil, Aloizio Mercadante, o candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha; Francisco Falcão, ministro do STJ. Também estão presentes os governadores Teotônio Vilela, de Alagoas, Agnelo Queiroz, do Distrito Federal, Renato Casagrande, do Espírito Santo, Geraldo Alckmin, de São Paulo. Também está no palco o senador Aloísio Nunes, candidato a vice na chapa de Aécio Neves.
De acordo com a assessoria do Palácio do Planalto, Dilma irá acompanhar a missa campal no Palácio das Princesas, que estava prevista para começar às 10h mas atrasou por conta da chegada de autoridades ao local. A presidente deve deixar o Recife ainda neste domingo, com saída programada para às 12h25, informou a assessoria.

Imagem do Dia

Filho de Campos abraça o caixão 
do pai durante velório no Recife (Márcio Fernandes/ Estadão Conteúdo)
Filho de Campos abraça o caixão do pai durante o velório no Recife.

Renata Campos: “A luta de quem acredita em Pernambuco e no Brasil”

renata campos 1
A viúva de Eduardo Campos, Renata Campos, chama para si a responsabilidade de manter unidos o PSB e a Frente Popular. Apesar da dor pela morte do marido, decidiu, após se reunir com a família no final da manhã do ultimo sábado (16), convocar líderes políticos e a militância de todos os partidos da Frente Popular para um encontro na segunda, na Blue Angel do Derby, às 10h.
Como líder natural e herdeira do legado do ex-governador, Renata deve pedir aos correligionários que continuem o projeto de Eduardo e assumam a missão de eleger em Pernambuco, Paulo Câmara, candidato a governador, e apoiar Marina Silva na corrida pela Presidência da República. O pronunciamento de Renata, ao lado dos filhos, ocorrerá um dia após enterrar o marido e na data em que comemora 47 anos de idade.

“Não vamos desistir do Brasil”

chegada_caix_o_campos
Essa foi oficialmente a ultima frase do presidenciável Eduardo Campos, o ex governador de Pernambuco esteve na noite anterior à tragédia que a vitimou a morte, no Rio de Janeiro concedendo participando ao vivo do jornal nacional. No final da entrevista os apresentadores William Bonner e Patrícia Poeta, deixaram o candidato Eduardo Campos a vontade para levar sua mensagem aos brasileiros, Campos finalizou sua participação dizendo, “não vamos desistir do Brasil”.
No dia seguinte o Brasil inteiro ficou perplexo com a triste noticia de uma tragédia área em Santos, litoral paulista e que, no vôo estaria o presidenciável Eduardo Campos. Os jornais ainda davam informações sobre a tragédia, tentavam dar explicações e o povo pelos os quatro cantos do Brasil, já eternizava a frase do presidente que não teve tempo de disputar as eleições. “Não vamos desistir do Brasil”.
Mesmo estampada em um caixão onde nele estavam os restos mortais do líder que ganhou Pernambuco, que já estava totalmente preparado e pronto para ganhar o Brasil, a frase por si própria dava vida a uma família arrasada com a tragédia, mas movida pelo os ensinamentos deixados pelo o líder. O efeito da frase de Eduardo Campos, dava vida a uma multidão em pranto e quase sem esperança, mas que viam na força da viúva de Campos e os filhos, motivos suficientes, para não desistirem do Brasil.
Essa frase pode até não servir como cabo eleitoral de candidatos, mas que vai levar o povo brasileiro a uma reflexão pode acreditar que sim. Eduardo Campos não teve tempo de levar a diante seu projeto político, ma teve tempo suficiente, nos segundos finais da entrevista ao jornal nacional, na noite anterior a sua morte, de deixar uma frase para os brasileiros refletirem e não desistirem do Brasil.

Romário permanece à frente no RJ na disputa pelo Senado, diz Datafolha

Pesquisa Datafolha realizada com eleitores do Rio de Janeiro entre 12 e 13 de agosto mostra que Romário mantém a liderança na disputa por uma vaga no Senado com 29% das intenções de voto. Na pesquisa divulgada nesta sexta-feira (15) Cesar Maia (DEM) tem 23% e Eduardo Serra (PCB), 8%. Carlos Lupi, do PDT, tem 5% das intenções de voto. Romário, Cesar e Lupi mantiveram os mesmos índices da pesquisa anterior, realizada entre 15 e 16 de julho. Naquela pesquisa Serra tinha 7%.

Veja os números do Datafolha:
Romário (PSB) – 29%
Cesar Maia (DEM) – 23%
Eduardo Serra (PCB) – 8%
Carlos Lupi (PDT) – 5%
Liliam Sá (PROS) – 1%
Pedro Rosa (PSOL) – 1%
Diplomata Sebastião Neves (PRB) – 1%
Heitor Fernandes (PSTU) – 1%
Brancos e nulos – 17%
Indecisos – 15%

A pesquisa do Datafolha foi realizada com 1.317 eleitores em 31 cidades do Estado do Rio. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de três pontos prevista. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com os números RJ-00019/2014 e BR-00362/2014. Esta é a segunda pesquisa do instituto realizada após o registro das candidaturas no TSE. 

Romário tem desempenho acima da média em determinados segmentos, segundo o Datafolha. Entre os mais instruídos, 39% dos entrevistados votarão no ex-jogador, assim como 39% dos eleitores do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que tenta a reeleição, 38% dos homens e 36% dos eleitores do petista Lindberg Farias para o governo do estado. De acordo com o instituto, Cesar Maia não se destaca na análise por segmentos.

Helder tem 38%, Jatene, 37%, e Marco Antonio 3%, aponta Ibope

Pesquisa Ibope divulgada neste sábado (16) aponta o candidado Helder Barbalho (PMDB), com 38% das intenções de voto na corrida eleitoral deste ano. Em seguida, aparece o governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), com 37%. Os candidatos Marco Antônio (PCB) e Zé Carlos (PV) estão empatados com 3%.
Encomendada pela TV Liberal, esta é a primeira pesquisa realizada após o registro de candidaturas.
Confira abaixo os números do Ibope, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes de todos os candidatos são apresentados ao eleitor:
Veja os números do Ibope para a pesquisa estimulada:
Helder Barbalho (PMDB) - 38% das intenções de voto
Simão Jatene (PSDB) – 37%
Marco Antonio (PCB) – 3%
Zé Carlos (PV) – 3%
Elton Braga (PRTB) – 2%
Marco Carrera (PSOL) – 2%
Brancos e nulos – 6%
Não sabe – 9%
A pesquisa foi realizada nos dias 11 e 14 de agosto. Foram entrevistados 812 eleitores em 44 municípios do estado.  A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.
A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Pará sob registro nº PA-00004/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo nº BR-00379/2014.

Pesquisa espontânea
Na parte da pesquisa em que os entrevistadores do Ibope perguntaram ao eleitor em quem votará (sem apresentar a ele a relação de candidatos), 24% mencionaram Jatene. Veja abaixo:
- Simão Jatene: 24%
- Helder Barbalho: 22%
- Menções a outros candidatos: 2%
- Brancos e nulos: 9%
- Não sabe 43%
Rejeição
O Ibope também apontou a rejeição dos candidatos. A maior rejeição é do peessedebista Simão Jatene, que tem 32%. Na sequencia aparecem Helder Barbalho (24%). Os demais candidatos apresentam índice de rejeição entre 12% e 16%. Eleitores que declararam possibilidade de votar em qualquer um dos candidatos somam 10% e 21% não responderam. Os entrevistados podiam citar mais de um candidato.
Avaliação do governador
Na mesma pesquisa, os eleitores também responderam sobre a avaliação ao governo Jatene. Segundo o Ibope, 26% disseram que ele é "ótimo ou bom". Outros 44% afirmaram que ele é regular. Os que dizem que ele é “ruim ou péssimo” somam 28%.

Mário Couto e Paulo Rocha têm 16%, Duciomar, 14%, aponta Ibope

Pesquisa Ibope divulgada neste sábado (16) aponta que senador Mário Couto (PSDB) tem 16% das intenções de voto. O petista Paulo Rocha (PT) apresenta o mesmo índice de 16%. Na sequência, o petebista Duciomar Costa (PTB) aparece com 14% e Jefferson Lima (PP) com 13%. Levando-se em conta a margem de erro da pesquisa, que é de três pontos percentuais, para mais ou para menos, há empate técnico entre os quatro candidatos.
Professor Simão (PV) tem 5%. Helenilson Pontes (PSB) tem 4%. Angela Azevedo (PSTU) tem 3%. Eliezer Barros (PRTB), Pedrinho Maia (PSOL) e Renato Rolim (PCB) tem 1%.
Os indecisos somam 16% e os que declararam que vão votar em branco ou nulo são 9%. Encomendada pela TV Liberal, a pesquisa é a primeira do Ibope após o registro das candidaturas.
Veja os números do Ibope:
Mario Couto (PSDB) – 16% das intenções de voto
Paulo Rocha (PT) – 16%
Duciomar Costa (PTB) – 14%
Jefferson Lima (PP) – 13%
Professor Simão (PV) – 5%
Helenilson Pontes (PSB) – 4%
Angela Azevedo (PSTU) – 3%
Eliezer Barros (PRTB) – 1%
Pedrinho Maia (PSOL) – 1%
Renato Rolim (PCB) – 1%
Branco ou nulo - 9%
Não respondeu - 16%
A pesquisa foi realizada nos dias 11 e 14 de agosto. Foram entrevistados 812 eleitores em 44 municípios do estado.  A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.
A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Pará sob registro nº PA-00004/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo nº BR-00379/2014.

Popular Posts