Seguidores

O que você precisa saber para começar este 30 de julho de 2015

G1 reuniu os principais assuntos desta quinta-feira (30), com o que você precisa saber para começar o dia bem informado.
Leia abaixo:
Selo Agenda Aposentadoria (Foto: Editoria de Arte/G1)
Aposentadoria
A decisão de Dilma sobre o reajuste da aposentadoria pela regra do salário mínimo será publicada no Diário Oficial. Segundo equipe econômica, a atual conjuntura recomenda o veto.

Selo Agenda Inflação do Aluguel (Foto: Editoria de Arte/G1)
'Inflação do aluguel'
A FGV divulga pela manhã o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de julho, conhecido como inflação do aluguel porque é usado para reajustar contratos imobiliários. Na 2ª prévia de julho, o índice subiu de 0,59% para 0,71% na comparação com junho. No ano, a inflação do aluguel acumula alta de 5,07%.

  •  
Selo Agenda Pacto (Foto: Editoria de Arte/G1)
Pacto de governabilidade
A presidente Dilma se reúne com governadores de todos os estados à tarde. Também participam do evento o vice Michel Temer e os ministros da Casa Civil, Planejamento e Fazenda. O  tema do encontro é "governabilidade, responsabilidade fiscal e colaboração federativa".

Selo Agenda Contas do Governo (Foto: Editoria de Arte/G1)
Contas do governo
O Tesouro Nacional divulga hoje as contas do governo de julho. No anúncio, será conhecido o superávit primário, que é a economia feita para pagar os juros da dívida pública. No 1º semestre, as contas do governo registraram queda de R$ 17,23 bilhões, o pior resultado positivo em 14 anos.

Selo Agenda Empresas (Foto: Editoria de Arte/G1)
Empresas
Importantes empresas divulgam os balanços do 2º trimestre no começo da manhã. Entre elas estão Vale, Bradesco, Santander, Embraer, Usiminas e Ambev.

  •  
Selo Agenda Planta Carnívora (Foto: Editoria de Arte/G1)
Planta carnívora
Pesquisadores brasileiros descobriram uma nova espécie de planta carnívora depois que uma foto dela foi publicada no Facebook. Paulo Gonella, doutorando da USP, reconheceu se tratar de uma variedade até então desconhecida da ciência só de olhar a imagem compartilhada por um amigo.

BC sobe juro para 14,25% ao ano e indica manutenção no futuro

Copom taxa de juros Selic 14,25% (Foto: Editoria de Arte/G1)
Os juros básicos da economia brasileira subiram de 13,75% para 14,25% ao ano, um novo aumento de 0,50 ponto percentual, segundo decisão tomada nesta quarta-feira (29) pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. Foi a sétima elevação seguida da taxa Selic, que atingiu o maior patamar desde julho de 2006, ou seja, em nove anos - quando estava em 14,75% ao ano.

TERRA PROMETIDA? Canaã é destaque nacional em geração de empregos num Brasil em crise

CANAÃ DOS CARAJÁS no sudeste do PARÁ, onde a mineradora VALE, desenvolve as obras de construção da usina do Projeto Ferro Carajás S11D, na foto  módulos que irão formar a Usina S11D. Eles começaram a ser montados em painéis na horizontal. FOTO SERGIO CASTRO/ESTADÃO
Depois do vuco-vuco que estampou Parauapebas (2007-2012) e Altamira (2012-2014) nas primeiras páginas de noticiários nacionais quando a pauta era emprego, agora é a vez de Canaã dos Carajás representar o Pará no assunto. O diferencial é que Canaã emerge num cenário de Brasil em “silascância” total, no que se refere à geração de postos de trabalho formais, amparado pela implantação de dois macroempreendimentos: uma indústria extrativa de minério de ferro, chamada de projeto S11D, e um corredor logístico, chamado Ramal Ferroviário Sudeste do Pará.
Discreto, Canaã vai movimentando, por meio da mineradora Vale (aliás, mais dela do que dele), cerca de 16 bilhões de dólares desde 2013 e tem previsão de arrebanhar 9.000 trabalhadores no pico das obras do S11D – entre o resto de 2015 e o primeiro semestre do ano que vem.
De janeiro a junho deste ano, Canaã foi o nono município brasileiro – entre 5.570 localidades – com o melhor saldo de geração de postos de trabalho. Na outra ponta, Parauapebas e Altamira, ex-líderes de emprego, estão entre os 50 lugares nacionais que mais demitiram. Os serviços operacionais para erguer e ampliar as minas da Serra Norte de Carajás no primeiro e os canteiros de obras para fazer a Hidrelétrica de Belo Monte no segundo deixaram de ser atrativos e envolventes, e cada trabalhador teve de procurar seu rumo.
Hoje, dos 34 mil habitantes do município de Canaã dos Carajás, 15 mil são trabalhadores com carteira assinada – sem contar os servidores públicos (municipais, estaduais e federais). É a maior proporção de trabalhadores na ativa por habitante do Norte e Nordeste brasileiro. Em termos comparativos, se Canaã tivesse a mesma atual população de Parauapebas (estimada em cerca de 190 mil habitantes para 2015), teria 83 mil trabalhadores com carteira assinada. Mas em Parauapebas, nos últimos três anos, a força da crise econômica derrubou a força de trabalho formal de 48 mil para 42,8 mil trabalhadores.
E O FUTURO?
O futuro a Deus pertence, mas é certo que a “Terra Prometida” – de onde hoje emanam pão, leite e mel para alguns trabalhadores; cobre do Sossego para a mineradora Vale, para quem também já está a caminho o minério de ferro do S11D – não se sustentará com todos esses empregos. É natural que a implantação de um megaprojeto, como o S11D, demande força de trabalho igualmente gigante. Mas a operação do empreendimento, prevista para se iniciar a todo vapor em 2017, vai reduzir drasticamente o número de contratações, que, no momento, compõem uma espécie de mão de obra volante e com prazo determinado.
Quando ocorrer o start-up da operação, para a qual a mineradora Vale estima não mais que 2.600 empregos fixos em Canaã, será demandada mão de obra especializada, aquela que realmente “entende do assunto”, em se tratando de extrair minério com elevado teor de hematita.

Serão, em sua maioria, engenheiros de minas, geólogos, engenheiros ambientais, engenheiros de segurança do trabalho, engenheiros mecânicos, analistas de sistemas, técnicos de mineração, técnicos de segurança do trabalho, técnicos em mecânica, todos os quais para garantir a produção média de 90 milhões de toneladas por ano (90 Mtpa), que deverá render à conta-corrente da prefeitura local algo em torno de 120 milhões anuais (ou cerca de R$ 10 milhões mensais) em Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem), considerando-se o preço médio da tonelada do minério de ferro, de 60 dólares, no primeiro semestre deste ano. Nos áureos tempos férreos de vacas gordas, com o minério entre 140 e 190 dólares, 90 Mtpa renderiam à Prefeitura de Canaã uma mesada de R$ 30 milhões mensais em royalty.
Para o bem, para o mal ou para o zen, Canaã dos Carajás, a Terra Prometida, nunca mais será a mesma. E tomara que não trilhe o caminho de Parauapebas, sua genitora, no tocante aos assuntos nos noticiários nacionais. Pelo menos não nos negativos.
Reportagem especial: André Santos 
Foto: Arquivo

Sem dinheiro prefeitos têm que ser criativos para executar projetos

Resultado de imagem para falta criatividade
O bolo arrecadado com tributos no país, a União fica com 63%, os Estados com 24% e os municípios recebem apenas 13% é o que volta para as cidades em forma de benefícios.

Pesquisando algumas cidades do Pará, Ceará, Paraíba, Piaui  e pernambuco cheguei a conclusão que os prefeitos dessas cidades "adoram" depender do repasse da União e do estado.

Eles, os prefeitos sabem que os repasses são poucos algo em torno de 13%, sabem que a União e o Estado estão jogando toda a responsabilidade nas cidades que não suportam essa carga que exclusiva da União e o do Estado.mas insistem em depender exclusivamente desse minimo repasse.

Os prefeitos, insistem em depender exclusivamente desse repasse, porém esquecem que têm que ser criativos para executar projetos de interesse da população.

Por falta de criatividade muitos prefeitos ficam presos e escravos desses repasses.  

Eu, acredito numa Parauapebas melhor

Resultado de imagem para eu acredito
O trabalho de um político é um dos mais exigentes que existe, pelo seu impacto na vida das pessoas, no bem comum e no desenvolvimento das comunidades nas quais os indivíduos buscam se realizar como pessoas.
 
Podemos nos esquecer do seu significado e desvalorizar esta atividade, a tal ponto de ter pensado alguma vez que os políticos não servem para nada.
 
político precisa ser filho da sua época, ou seja, ter uma relação intensa e viva com a cultura, a filosofia, a psicologia e as ideias do seu tempo; entender, amar e viver seu século; apaixonar-se pela verdade, pela justiça e pelas coisas da sua época, olhando mais para o futuro que para o passado, voltando ao passado unicamente em busca de modelos construtivos de ação.
 
político precisa levar em consideração os valores de hoje, entender como é o jeito de ser atual. Deve saber dar ao seu povo o sentido da sua missão na história, no momento presente. 
 
Uma coisa é saber dar ao povo sua missão na história e outra coisa necessária é que cada um se conscientize da sua missão política neste mundo.
 
político precisa ser uma amplitude de horizontes que lhe permita ver em outras ideologias, em outras posturas, aspectos positivos, que o levem a coincidir com elas em sua incessante busca da verdade e do bem comum. Ficam descartados os políticos de mente fechada.
 
político precisa ter uma relação muito familiar com o cosmos e com o ser transcendente (no caso de ser religioso), ou seja, sentir que está realizando algo no mundo, que existe para algo no mundo e que precisa fazê-lo bem.
 
A impaciência é a principal causa do fracasso de muitos políticos. É preciso saber esperar. É preciso preparar-se dia a dia. As metas são alcançadas degrau a degrau, e não com um só salto.
 
político atual precisa possuir competência científica, capacidade técnica e experiência profissional. Antes era possível ter políticosintuitivos, mas já não há dúvida de que o estudo científico não tira nada da intuição, mas, pelo contrário, a aperfeiçoa, a dirige e evita muitos erros nos quais os políticos puramente empíricos podem cair.
 
Assim se consolida no tempo o político visionário que sabe ver o futuro e tomar antecipadamente as decisões mais adequadas.

 
Eu, acredito numa Parauapebas melhor.

O Tempo de Mário Quintana


A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. 
Quando se vê, já são seis horas! 
Quando de vê, já é sexta-feira! 
Quando se vê, já é natal... 
Quando se vê, já terminou o ano... 
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida. 
Quando se vê passaram 50 anos! 
Agora é tarde demais para ser reprovado... 
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio. 


Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas... 
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo... 


E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo. 


Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz. 


A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Eu, acredito numa Parauapebas melhor

Resultado de imagem para eu acredito
Numa conversa com um casal que tem sobre os seus ombros, rsrs, cerca de 50 jovens, para discipular, falávamos sobre a corrupção não só dos políticos, mas também dos eleitores corruptos, disse para eles, votar em político que compra seu voto, é eleger alguém que não tem compromisso com a comunidade, com o social. Cobrar alguma coisa desse tipo de gente é dar abertura para ouvir coisas do tipo: “eu não lhe devo nada, seu voto foi comprado”. Não sei se o financiamento público de campanha resolverá, mas, tenho certeza de que o investimento em educação sim!
Não é mais possível nos dias atuais ouvir frases como: 
“político tal me deu a Carteira de Habilitação”, “o Deputado conseguiu uma cirurgia”, “o Governador me dá meu remédio todo mês”. Meu Deus, a saúde, a educação, a segurança pública, a geração de emprego e renda, são deveres do Estado, realizado através de seus agentes. O povo deveria sim, cobrar de seus candidatos quais as propostas concretas para tais áreas e outras mais.
 O eterno Rei do Baião já profetizava em “Vozes da Seca”: “Mas doutô uma esmola a um homem qui é são, ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão”, o que dizer da Bolsa-Família e de tantas outras esmolas eleitoreiras? Fica difícil defender até mesmo o voto facultativo no Brasil atual, pois, apenas votariam os eleitores “comprados”, já que os conscientes se afastariam do pleito por puro descrédito na classe política.
É por tudo isso que fica aqui o clamor: aos Governos e seus líderes, invistam em educação, aprendam a ser reconhecidos por mentes abertas e educadas que verão suas ações concretas e sociais, não por mentes escravizadas por esmolas. Aos eleitores, não vedam seu voto! Aliás, vender voto é crime, conforme nos diz o art. 299 do Código Eleitoral, que “Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita” cabe uma pena de “reclusão até quatro anos e pagamento de cinco a quinze dias-multa”.
Confinado na soberania do voto, na verdadeira democracia, na educação do nosso povo e na extirpação de políticos corruptos, resta-nos cantar parafraseando o ídolo Chico Buarque: Apesar de vocês(s), amanhã há de ser outro dia.
Eu, acredito numa Parauapebas melhor

A mudança é fundamental nas nossas vidas

Resultado de imagem para mudança é fundamental
Chorar a cada canta não vai resolver os nossos problemas ou aquilo que sentimos. Não falar demasiado é uma qualidade e pensarmos em nós em primeiro lugar não tem de constituir propriamente uma atitude de egoísmo.
Afinal de contas, a vida não pára e nem tudo será como ansiamos. A cada escolha que fazemos sofremos uma consequência e se perdoamos uma vez é possível que alguém se venha a corrigir mas se perdoarmos dez vezes, o mais provável é que tenhamos de perdoar onze, doze, treze e por aí fora.
Perdoar não é tão fácil como esquecer. Nós não somos assim tão bons e visto à lupa nenhum de nós é normal.

“Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, não é preciso perder pra aprender a dar valor e os amigos ainda se contam nos dedos.” (cit. Charles Chaplin).


Com o tempo percebemos aquilo que realmente vale e que devemos guardar no nosso baú de recordações e aquilo que nunca deveríamos lá ter colocado. Não podemos fazer de conta que o passado não existiu, mas sabemos que o tempo tudo cura ainda que não seja no hoje e no agora.

“Não fique preocupado, você nunca sabe quem está se apaixonando pelo seu sorriso” (cit. Charles Chaplin).

Adaptado do Autor: Charles Chaplin

O que você precisa saber para começar este 27 de julho de 2015

G1 reuniu os principais assuntos desta segunda-feira (27), com o que você precisa saber para começar o dia bem informado.
Leia abaixo:
Selo Operação Lava Jato (Foto: Editoria de Arte/G1)
Lava Jato
Acaba nesta segunda o prazo para o executivo Marcelo Odebrecht explicar anotações feitas em seu celular ao juiz Sérgio Moro. O prazo venceria na quinta-feira (23), mas o advogado de Odebrecht pediu que o tempo fosse estendido e o juiz acatou.

Selo Segurança pública (Foto: Editoria de Arte/G1)
Segurança pública
O G1 divulga nesta segunda um levantamento exclusivo das mortes de PMs em serviço em 2014, com base nos dados das secretarias de segurança Pública de 22 estados.


Selo Concursos (Foto: Editoria de Arte/G1)
Concursos
Pelo menos 8 órgãos abrem inscrições nesta segunda-feira (27) para 715 vagas e formação de cadastro de reserva em cargos de todos os níveis de escolaridade; salários chegam a R$ 11,2 mil na Prefeitura de Santana do Parnaíba (SP). Os concursos com inscrições abertas somam 17,8 mil vagas no país.

Selo Dívida Pública (Foto: Editoria de Arte/G1)
Dívida pública
A Secretaria do Tesouro Nacional divulga nesta segunda o relatório de junho da dívida pública federal, que inclui os endividamentos interno e externo do governo. Em maio, o endividamento público subiu 1,8%, para R$ 2,49 trilhões, segundo o Tesouro Nacional.

Congresso pode ter 'pautas-bomba' e projetos polêmicos no 2º semestre

Resultado de imagem para congresso nacional plenário
Após um semestre de intensos atritos com o Executivo, o Congresso Nacional deve retomar os trabalhos a partir de agosto com a votação de pautas delicadas para o Palácio do Palácio, como o projeto que reduz as desonerações na folha de pagamento de empresas – parte do pacote de ajuste fiscal. Temas polêmicos como redução da maioridade e financiamento privado de campanha também estarão em debate.

Outro item incômodo na lista de “pautas-bomba”, como são chamadas as medidas com impacto nos cofres públicos, é um projeto que muda a correção dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), passando de 3% para cerca de 6%. O governo alega que o projeto afetará programas habitacionais, como o Minha Casa Minha Vida, e obras de saneamento básico, financiadas com recursos do fundo.

As dificuldades para a aprovação de termas de interesse do Palácio do Planalto deve aumentar após a última tensão entre Legislativo e Executivo. Na semana passada, o presidente Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ),anunciou rompimento com o governo e informou passa a integrar a oposição.

Embora tenha dito que não pretende colocar em votação propostas que afetem o Orçamento, Cunha já deu mostras de que o segundo semestre não será fácil para o Planalto na Câmara, com a criação de duas CPIs que desagradam ao governo.


Além de Cunha, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), também pode impor um ritmo de votação de projetos contrários aos interesses do Planalto. Renan, inclusive, anunciou em pronunciamento no último dia 17 na TV Senado que o Congresso deve ter "meses nebulosos, com a concentração de uma agenda muito pesada."

Popular Posts